Fórum RNP aborda inovação, liderança e Sistema RNP no segundo dia de apresentações

- 23/11/2021

O início da segunda tarde de programação do Fórum RNP 2021 foi marcada por apresentações curtas, diretas e dinâmicas sobre diferentes assuntos, na sessão Flash Talks. Foram cinco conteúdos diferentes em apenas uma hora, uma enxurrada de conhecimentos compartilhados com os espectadores. 

Depois, os participantes puderam se inteirar sobre as tendências em inovação digital e segurança para IoT (Internet das Coisas), conhecer as características do Sistema RNP e entender o modelo de Operador Neutro escolhido para a Infovia 00, dentro do projeto piloto do Programa Norte Conectado. 

Criar para inovar 
O gerente de Atendimento Integrado da RNP, Francisco Junior, abriu os trabalhos falando de inovação, mais precisamente sobre a importância da criatividade em todo o processo inovador e como ela pode ser estimulada a partir da imaginação e da curiosidade. 

“Não adianta nada a gente falar sobre inovação, de como inovar e para que inovar, se não falarmos de criatividade. E ela é um tema, uma disciplina pouco falada e estudada no mundo corporativo. Afirmo para vocês que criatividade não é um dom, é uma ferramenta de uma habilidade que é a imaginação. Precisamos renovar nossa imaginação, voltar a imaginar, porque é na infância que trabalhamos mais a imaginação”, ressaltou Francisco. 

Conferência Web e Programa Mais Médicos para o Brasil 
A estagiária da Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços (DAGSer) da RNP, Mirella Honório, compartilhou dados relativos à transformação que o Conferência Web promoveu no ambiente de supervisão acadêmica do Programa Mais Médicos para o Brasil. O serviço passou a ser utilizado com a chegada da pandemia ao país em 2020 para facilitar o acompanhamento por parte do MEC do trabalho realizado pelos supervisores, que, antes, era realizada por meio de várias ferramentas diferentes. 

“A partir do momento em que a gente tinha um serviço - ele não mudou, só fizemos algumas adaptações - e ele foi colocado em um cenário diferente do que ele estava acostumado, vimos os resultados e impactos positivos, melhorando a comunicação e encurtando a distância entre o supervisor e o médico supervisionado”, explicou Mirella. 

Marker  - Evolução da gestão de pontos de acessos eduroam no Brasil 
Na sequência da sessão, o analista de Serviços da RNP José Carlos Júnior abordou o Marker, ferramenta web desenvolvida pela RNP em parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) que vem contribuindo para a evolução da gestão de pontos de acesso eduroam no Brasil. Atualmente, mais de 170 instituições clientes, entre elas, universidades, institutos de pesquisa, hospitais e agências de pesquisa e inovação espalhadas pelo país possuem pontos de acesso à rede Wi-Fi, beneficiando milhares de usuários, como alunos, professores e pesquisadores. 

“A ferramenta trouxe resultados significativos como: a diminuição do trabalho manual dos responsáveis pelo eduroam nas instituições, a remoção do trabalho manual dos analistas da RNP, agilidade nas atualizações do mapa, aumento de 8% nos pontos de acesso desde a implementação, em meados de 2020. Além deles, o principal, ao nosso ver, foi o aumento da confiabilidade ao acessar os pontos eduroam espalhados pelo Brasil”, destacou José Carlos. 

Ser líder é uma escolha 
A gerente de Operações de Rede da RNP, Janice Ribeiro, falou sobre as escolhas que devem ser feitas para assumir a posição de líder e exercê-la da melhor maneira possível. 

“A escolha não é só se dedicar à gestão dos resultados extraordinários, mas também se dedicar às pessoas que entregam esses resultados e o caminho passa por uma jornada de aprendizagem, de vulnerabilidade, de reconhecimento das suas próprias emoções. Então, meu recado é: escolham ser um líder, mesmo que não sejam um gestor e não deixem para começar a jornada só quando receberem o cargo. Comecem já”, orientou Janice.  

V4H: Segurança e confiabilidade na teleconsulta 
O pesquisador e professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Guido Lemos, deu detalhes sobre a plataforma Vídeo For Health (V4F), desenvolvida no âmbito do Programa de P&D da RNP para garantir confiabilidade e segurança na teleconsulta e no teleatendimento em saúde digital. 

“O objetivo da pesquisa do V4H foi estudar como é que se usa de maneira adequada vídeos e aplicações na área da saúde. O que fizemos nesse primeiro ciclo de pesquisa foi adicionar camadas de segurança em relação às camadas básicas, que são utilizadas praticamente por todos os serviços de videoconferência disponíveis na web. Se você vai usar vídeo em atendimentos na saúde, precisa se preocupar com requisitos específicos, muito cuidado com a segurança. Entendemos, também, que a gente precisa agregar acessibilidade e inteligência ao serviço”, explicou o professor Guido. 

Fortinet 
Depois, o especialista em cibersegurança da Fortinet, Michel Barbosa, deu início a um painel sobre inovação digital e segurança para ambientes IoT (internet das coisas). Na oportunidade, ele elencou algumas das tendências sobre o nicho, destacando o crescimento no uso de tecnologias relacionadas a trabalho e processamento de informações remotos ou distribuídos, justificado pela pandemia; a ascensão da chamada “internet dos comportamentos”; e maior preocupação dos usuários com a privacidade dos seus dados. 

Ele comenta as similaridades que esses tópicos apresentam: “Um aspecto comum a várias dessas novas tendências e inovações é que elas somente são ou serão possíveis em um mundo extremamente conectado. A ideia é que cada elemento que a gente interage, como sensor, equipamento, botão, porta e maçaneta, por exemplo, seja capaz de ter uma conexão independente e direta com a internet. E acesso explosivo é suportado pelo 5G! Então, existe uma expectativa muito grande em relação a implementação desse tipo de rede e como ela vai se comportar”. 

Sistema RNP 
O Sistema RNP ganhou um espaço especial dentro da programação do segundo dia de Fórum RNP. O diretor-adjunto de Relacionamento Institucional da RNP, Gorgonio Araújo, foi o responsável por apresentar os detalhes desse ambiente para desenvolvimento da educação, pesquisa e inovação, que cresce em conjunto com as organizações usuárias que dele fazem parte.  

“Por que surgiu o Sistema RNP depois de 30 anos de RNP? Ele se configura como um ecossistema coletivo que traz valor para quem participa desse ambiente. Que impulsiona a ciência e a educação no país por meio do compartilhamento. O que as redes trouxeram? Trouxeram os fluxos e eles trouxeram as trocas, que significam estar em conjunto. Enxergar a RNP como um conjunto é o passo a mais, a próxima etapa e desafio da nossa comunidade”, destacou Gorgonio. 

Para falar sobre a oferta de serviços dentro do Sistema, tivemos a participação do diretor-ajunto de Gestão de Serviços da RNP, Luiz Coelho. 

“Esse conjunto do catálogo de serviços que a RNP forma complementa essa disponibilidade da rede segura de alta capacidade. Um catálogo muito sólido, construído em parceria com as instituições. Então, ele nasce do papel da RNP de articular com entidades para que possamos construir ofertas diferenciadas e ele é customizado e configurado de forma a atender a demanda das nossas comunidades”, salientou Luiz. 

Operador Neutro na Infovia 00, otimizando recursos e democratizando o acesso 
O processo de escolha do Operador Neutro para a Infovia00, do Programa Norte Conectado, trouxe à tona, mais uma vez, o conceito de redes neutras para o cotidiano das telecomunicações. O assunto também está em pauta com a chegada das redes em 5G. O modelo de negócios permite que diversos provedores compartilhem a mesma infraestrutura, otimizando os investimentos. Também aumenta a concorrência de internet banda larga no país, o que promove a democratização digital do acesso.  

As mudanças que esse novo modelo pode trazer para o mercado e os impactos na educação e na pesquisa foram debatidas no painel que encerrou o segundo dia do Fórum RNP, com moderação do diretor de Engenharia e Operações da RNP, Eduardo Grizendi, e participação do presidente da consultoria Teleco, Eduardo Tude; o gerente do Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br), Alexandre Barbosa; e Daniela Schettino, à frente do Programa Norte Conectado no Ministério das Comunicações.  

Em sua primeira fase, o Programa implantará a Infovia00, uma rede de aproximadamente 770 km de fibra óptica nos leitos dos rios amazônicos, que conectará Macapá (AP) a Alenquer (PA), com aberturas em Almeirim, Monte Alegre e Santarém, podendo beneficiar mais de 950 mil pessoas.  

 

  • Ainda não fez a sua inscrição no Fórum? Não perca o mais nenhum dia de aprendizado! Faça agora mesmo aqui

  • Nos siga nas redes sociais para acompanhar a cobertura completa! 

;