Cerimônia marca o lançamento oficial do cabo submarino que liga Brasil à Europa

- 01/06/2021

O cabo submarino Ellalink, o primeiro a conectar diretamente a América do Sul à Europa, iniciará sua operação a partir do mês de junho. No dia 1º/6, durante o evento Leading the Digital Decade, organizado pela Comissão Europeia, foi realizada a cerimônia de inauguração oficial do projeto, que estabelece um link em fibra óptica de alta capacidade entre os dois continentes, com 6 mil quilômetros de extensão, conectando as cidades de Fortaleza (Brasil) e Sines (Portugal), sem a necessidade dos dados passarem pelos Estados Unidos.

Participaram da cerimônia o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, o ministro da Economia e Transição Digital de Portugal, Pedro Siza Vieira, o presidente da Ellalink, Philippe Dumont, e o presidente da Nokia, Pekka Lundmark.

Para o ministro de Portugal Pedro Siza Vieira, o novo cabo representa não apenas novas oportunidades para a economia, mas também para a cooperação científica. “Este cabo é uma infraestrutura indispensável para o crescimento da nova economia digital orientada a dados, mas também oferece alta capacidade com baixa latência, que permite a operação de negócios e atividades de Pesquisa e Desenvolvimento usando as melhores tecnologias digitais”.

Para o ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, a pandemia ressaltou a importância da cooperação científica entre os continentes. “Agora temos uma conexão direta que irá permitir a transmissão de dados e a troca de informações de uma forma muito mais rápida e efetiva”, declarou.

Parte da capacidade do cabo submarino Ellalink será usada pelo projeto BELLA (Building the Europe Link to Latin America), que atende às necessidades de interconectividade das comunidades de pesquisa e educação europeias e latino-americanas nos próximos 25 anos. O consórcio BELLA é formado pelas redes acadêmicas da Europa (Géant) e da América Latina (RedCLARA), incluindo o Brasil (RNP).

Um dos projetos científicos que irá se beneficiar da nova capacidade é o Copernicus, de Observação da Terra da União Europeia, que poderá contar com a colaboração de pesquisadores latino-americanos no combate às mudanças climáticas.

Para saber mais sobre o projeto BELLA, acesse: https://bella-programme.redclara.net/.

;