Veredas Novas

O programa Veredas Novas tem como objetivo conectar, em alta velocidade, todos os campi de universidades e institutos tecnológicos públicos no interior do país. As sedes das instituições são conectadas a 1 Gb/s e os outros campi, a pelo menos 100 Mb/s.

Para atingir este objetivo, o programa conta com a cooperação técnica de parceiros, como as empresas estaduais de tecnologia da informação, operadoras de telecomunicações e dezenas de provedores locais e regionais de internet.

Um dos estados onde já se conseguiu uma grande capilaridade da rede em alta velocidade é o Ceará, graças a um trabalho conjunto com a Empresas de Tecnologia de Informação do Ceará (Etice). Com essa parceria, o estado passou a ter todos os 34 campi de suas instituições públicas no interior conectados a pelo menos 100 Mb/s.

A partir de 2015, a RNP traçou uma nova frente para ampliação do programa junto ao Conselho Nacional de Secretários para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação (Consecti).  A intenção é criar redes metropolitanas nas localidades no interior de cada estado e interligá-las à capital por redes ópticas de transporte, para atendimento às instituições públicas de ensino e pesquisa, estaduais e federais.

A Bahia é um dos estados pioneiros nessa nova frente do programa, que recebeu o nome de Veredas Novas Estaduais. Liderado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-BA), um comitê gestor foi criado para discutir a ampliação da infraestrutura de telecomunicações na região.

O Programa Veredas Novas é uma iniciativa conjunta da RNP e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Ministério da Educação (MEC) e Ministério das Comunicações (MC) e tem o apoio da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Educação Superior (Andifes) e do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).

Veredas Novas