Redecomep

O Programa Redecomep - Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa - é responsável pela implantação de redes de alta velocidade nas regiões metropolitanas do país servidas por Pontos de Presença (PoPs) da organização, e em cidades do interior com duas ou mais instituições federais de ensino e pesquisa.

O modelo adotado prevê a formação de consórcios entre as organizações participantes, de forma a assegurar sua autossustentação, desenvolvendo uma infraestrutura de fibra óptica própria para a pesquisa e a educação superior.

Mapa_nacional_redecomep_dez16

Na figura acima, é possível ver as redes metropolitanas implantadas até dezembro de 2016, a qual se conectam, atualmente, cerca de 500 instituições.

Estar conectado à Redecomep local significa dispor de uma infraestrutura de rede de alta capacidade com alcance no país e no exterior. Entre as possibilidades, estão o desenvolvimento de pesquisas científicas colaborativas, em nível nacional e internacional, o uso de serviços avançados de comunicação e colaboração com redução de gastos, ensino a distância, telemedicina, laboratórios virtuais, computação distribuída, entre outros.

Na primeira fase da Redecomep, foram construídas 26 redes metropolitanas nas capitais dos estados, uma no Distrito Federal e outra em Campina Grande (PB). A segunda fase contempla as cidades do interior.

As redes metropolitanas implantadas nas capitais conectam-se diretamente ao PoP de cada estado. Já as que estão fora das capitais precisam ser conectadas ao PoP por meio de circuitos de transporte, normalmente a 1 Gb/s.

Para auxiliar a operação do PoP em todo o estado, a partir da capital, a RNP está implantando Pontos de Agregação (PoAs) nessas redes, em uma das instituições participantes, preferencialmente uma sede ou campus de universidade pública federal.