Redecomep

As Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa (Redecomep) são redes de alta velocidade implantadas pela RNP nas regiões metropolitanas do país servidas por Pontos de Presença (PoPs) da organização e em cidades do interior com duas ou mais instituições federais de ensino e pesquisa.

O modelo adotado prevê a formação de consórcios entre as organizações participantes, de forma a assegurar sua autossustentação, desenvolvendo uma infraestrutura de fibra óptica própria para a pesquisa e a educação superior.

Mapa_nacional_redecomep_dez16

Na figura acima, é possível ver as redes metropolitanas implantadas até dezembro de 2016, a qual se conectam, atualmente, cerca de 380 instituições. Para essas, estar conectado à Redecomep local significa dispor de uma infraestrutura de rede de alta capacidade com alcance no país e no exterior. Entre as possibilidades, estão o desenvolvimento de pesquisas científicas colaborativas, em nível nacional e internacional, o uso de serviços avançados de comunicação e colaboração com redução de gastos, ensino a distância, telemedicina, laboratórios virtuais, computação distribuída, entre outros.

Na primeira fase da iniciativa Redecomep, foram construídas 26 redes metropolitanas nas capitais dos estados, uma no Distrito Federal e outra em Campina Grande (PB). Na segunda, estão sendo contempladas cidades do interior. As Redecomeps implantadas nas capitais conectam-se diretamente ao PoP do estado. Já as que estão fora das capitais precisam ser conectadas ao PoP através de circuitos de transporte, normalmente em 1 Gb/s. Para auxiliar na operação do PoP em todo o estado, a partir da capital, a RNP está implantando Pontos de Agregação (PoAs) nessas redes, em uma das instituições participantes, preferencialmente uma sede ou campus de universidade pública federal. 

A estratégia de implantação de PoAs em uma localidade não depende necessariamente do desenvolvimento de uma rede metropolitana no local. Por exemplo, deverá ser instalado um PoA no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em São José dos Campos, ainda que lá não se tenha implantado a Redecomep, para apoiar a operação de um circuito que atende ao Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), vinculado ao MCTI.