Redes de Experimentação

A RNP coloca à disposição de pesquisadores e estudantes de redes e sistemas distribuídos vários recursos para apoiar estudos experimentais de novas propostas de serviços e arquiteturas de rede. Entre esses recursos, estão os ambientes PlanetLab e FIBRE.

PlanetLab

PlanetLab é uma rede de experimentação mundial que permite o desenvolvimento de novos serviços de rede. Desde 2003, mais de 1 mil pesquisadores em instituições acadêmicas e laboratórios industriais usaram o PlanetLab para desenvolver novas tecnologias para armazenamento distribuído, mapeamento de redes, sistemas P2P, tabelas de hash distribuídas (DHT), entre outras aplicações.

Hoje, o laboratório consiste em quase 1.100 nós abrigados em mais de 500 locais, proporcionando recursos de processamento e armazenamento distribuídos para o desenvolvimento de projetos em redes de grande alcance, que dificilmente poderiam ser montados numa única instituição. Com isso, ele permite desenvolver e testar experimentalmente, sob condições reais de rede, aplicações e serviços de grande escala.

A RNP entrou como parceira do projeto em 2004, com a implantação de três nós nos Pontos de Presença da rede Ipê, no Rio de Janeiro, no Ceará e no Rio Grande do Sul. Mais recentemente, foram renovados os equipamentos nesses nós e acrescido um quarto nó no estado do Pará.

Como funciona

Em troca da cessão de recursos ao PlanetLab, a RNP poderá alocar slices (frações da rede) no laboratório, para serem distribuídos entre os seus usuários. De posse do controle de um slice, tem-se acesso aos recursos de todos os nós que compõem a rede do PlanetLab. Cabe ao controlador definir quais desses recursos farão parte do seu slice, de acordo com sua aplicação e seu experimento.

Cada slice tem dois meses de duração, renováveis. Os usuários da rede acadêmica brasileira podem ter acesso a esse ambiente através da RNP, submetendo uma proposta de projeto. Como os recursos são limitados, os pedidos serão avaliados pelo Laboratório Nacional de Redes de Computadores (LARC). Uma vez aprovados, será gerado um slice para hospedar o projeto. Poderão ser criadas, no mesmo slice, quantas contas forem necessárias, a fim de que outros participantes possam também trabalhar nesse ambiente.

Modelo de submissão de projetos

Ambiente Fibre

Criado no projeto FIBRE, esse ambiente, que estará disponível a partir do 2º semestre de 2014, permitirá ao experimentador montar uma topologia de rede virtual interligando recursos virtuais de armazenamento e computação dedicadas ao experimento, para explorar em escala real propostas de arquiteturas e modelos de serviços.