Editais encerrados

3ª Chamada Coordenada BR-UE em Tecnologias da Informação e Comunicação (2015)

A Secretaria de Políticas de Informática (Sepin) do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e a RNP tornam pública a 3ª Chamada Coordenada BR-UE em Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). Os interessados submeteram seus trabalhos de desenvolvimento e inovação tecnológica na página https://jems.sbc.org.br/ctic_eubr_3, até o dia 21/4, na forma e condições estabelecidas no documento.

O objetivo da chamada é alcançar uma estreita colaboração entre as comunidades de P&D brasileiras e europeias, considerando-se, em especial, instituições fortemente envolvidas com indústrias ligadas aos temas selecionados: Computação em Nuvem, incluindo aspectos de segurança, Processamento de Alto Desempenho e Plataformas Experimentais.

Cronograma

Lançamento da chamada: 2/3/2015
Data limite para submissão das propostas: 21/4/2015, 23h55 (Brasília)
Divulgação dos resultados: a partir de junho de 2015
Apoio às propostas aprovadas: a partir de julho de 2015

Chamada na íntegra (atualizada em 1/4/2015)

Modelo de submissão de propostas para Pesquisa e Desenvolvimento (em inglês)

Modelo de submissão de propostas para Disseminação e Gestão do Conhecimento (em inglês)

Projetos selecionados

Processamento de Alto Desempenho

1. High Performance Computing for Energy (HPC4E)

O objetivo do projeto é aplicar técnicas de Processamento de Alto Desempenho no estudo de energias que representam o presente e o futuro, incluindo a produção de energia eólica, sistemas de combustão eficientes para combustíveis derivados de biomassa (biogás) e geofísica de exploração para reservatórios de hidrocarbonetos.

Valor de apoio: R$ 6,5 milhões

Instituições brasileiras envolvidas

Fundação Coordenação de Projetos, Pesquisas e Estudos Tecnológicos (Coppe)

Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC)

Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA)

Petróleo Brasileiro S. A. (Petrobras)

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (INF-UFRGS)

Universidade Federal de Pernambuco (CER-UFPE)

Instituições europeias envolvidas

Barcelona Supercomputing Center (BSC) - Espanha

Institut National de Recherche en Informatique et Automatique (INRIA) - França

Lancaster University (ULANC) - UK

Centro de Investigaciones Energéticas Medioambientales y Tecnológicas (CIEMAT) - Espanha

Repsol S.A. (REPSOL) - Espanha

Iberdrola Renovables Energía S.A. (IBR) - Espanha

Total S.A. (TOTAL) – França

Computação em Nuvem

2. Secure Big Data Processing in Untrusted Clouds (SecureCloud)

O projeto SecureCloud tem o objetivo de utilizar as mais novas tecnologias no estudo e na implementação de uma solução para prover confidencialidade, integridade e disponibilidade para aplicações que são executadas em ambientes de nuvem.

Valor de apoio: R$ 4,3 milhões

Instituições brasileiras envolvidas

Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (Lactec)

Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)

Universidade Federal de Itajubá (Unifei)

Copel Distribuição SA

CAS TECNOLOGIA S/A

Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro)

Instituições europeias envolvidas

Technische Universität Dresden - Alemanha

Imperial College - UK

University of Neuchâtel - Suiça

Chocolate Cloud ApS - Dinamarca

Synclab S.r.l. - Italia

Israel Electric Corporation Ltd - Israel

CloudSigma AG - Suiça

3. Europe Brazil Collaboration of Big Data Scientific Research through Cloud-Centric Applications (EUBra – BigSea)

Criar uma cooperação internacional sustentável na área de serviços em nuvem para análise de Big Data é o principal objetivo do projeto EUBra-BIGSEA. Ele aproveita a experiência e conhecimento multidisciplinar dos parceiros do consórcio em computação em nuvem, análise de dados, segurança e serviços definidos por software, para cumprir os objetivos da proposta. Além disso, o projeto ainda prevê a transferência de tecnologia para casos de uso real.

Valor de apoio: R$ 4,9 milhões

Instituições brasileiras envolvidas

Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)

Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

IBM Research Brazil

Instituições europeias envolvidas

Universitat Politècnica de València - Espanha

Barcelona Supercomputing Centre - Espanha

Centro Euro-Mediterraneo sui Cambiamenti Climatici - Italia

Trust-IT Services Ltd. - UK

Universidade de Coimbra - Portugal

Politecnico di Milano - Italia

4. Fostering an International Dialogue between Europe and Brazil (EUBrasilCloud Forum) 

O projeto de cooperação EUBrasilCloudFORUM visa promover um ambiente que permita a absorção dos resultados da pesquisa pelo mercado, incluindo organizações de todos os tipos e tamanhos. Dessa forma, apoiando o crescimento das economias tanto no Brasil quanto na Europa. Para esse fim, o projeto vai criar um "Market place" baseado na web, oferecendo uma lista concreta e prática dos casos de sucesso e serviços que surgiram da parceria BR-UE.

Além disso, o projeto se propõe a estruturar um fórum, direcionado à comunidade, que promove diálogos sobre pesquisa e inovação na área de Computação em Nuvem. Dos cinco projetos escolhidos, esse é o voltado à disseminação e gestão do conhecimento – os outros são de pesquisa e desenvolvimento (P&D).

Valor de apoio: R$ 1,6 milhão

Instituições brasileiras envolvidas

Universidade de Brasília (UnB)

Universidade de São Paulo (USP)

Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Instituições europeias envolvidas

Universidade de Coimbra (UC) - Portugal

Trust-IT Services Ltd. (TRUST-IT) - UK

Waterford Institute of Technology (WIT) - Irlanda

Plataformas Experimentais

5. Federated Union of Telecomunications Research Facilities for an EU-Brazil Open Laboratory (Futebol)

O objetivo geral do projeto Futebol é desenvolver e implantar estruturas de investigação, juntamente com uma plataforma de controle, na Europa e no Brasil, que permitam a realização de pesquisa experimental na área de convergência entre as redes ópticas e redes sem fio. O projeto também se propõe a criar um ecossistema sustentável e colaborativo entre o Brasil e Europa, em prol do desenvolvimento da pesquisa e inovação.

Valor de apoio: R$ 4,9 milhões

Instituições brasileiras envolvidas

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)

Universidade Federal do Ceará (UFC)

Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Intel Brazil

Digitel S.A. Indústria Electrônica

Instituições europeias envolvidas

Trinity College Dublin - Irlanda

University of Bristol - UK

Teknologian Tutkimuskeskus VTT Ou - Finlândia

Instituto de Telecomunicações – Aveiro - Portugal

PT Inovação e Sistemas AS - Portugal

Intel Mobile Communications GmbH - Alemanha

Edital europeu da 3ª Chamada Coordenada

O edital europeu da 3ª Chamada Coordenada BR-UE em Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) está disponível no site da Comissão Europeia. Observe que a data limite para submissão das propostas é dia 21/4, às 17h (horário de Bruxelas).

Formulário de Autoavaliação

A exemplo da metodologia de avaliação dos parceiros europeus, os projetos podem se autoavaliar. O formulário está disponível para os proponentes que queiram, por conta própria, receber uma avaliação da sua proposta. A intensão é encontrar formas de melhorar as propostas antes da submissão oficial.

Chamada de videocolaboração (2015)

No dia 4/5, o Comitê de Prospecção Tecnológica em Videocolaboração (CT-Vídeo) lançou uma chamada de propostas para financiar projetos de P&D com duração de até seis meses. Em sua maioria, o edital visa financiar alunos de graduação ou pós-graduação a elaborarem estudos que explorem o uso de aplicações baseadas em vídeo e colaboração remota, de acordo com as áreas de interesse elegidas pelos membros do próprio comitê.

Programas de P&D Temáticos (desde 2015)

No dia 10/9/2015, a RNP lançou dois Programas de P&D de Grupos de Trabalho Temáticos, voltados para educação a distância e e-Saúde. Em educação a distância, foram selecionados projetos que apresentem soluções em produtos e serviços sobre Aprendizado Móvel, Laboratórios Virtuais e Cursos Abertos online. Já o Programa de P&D em e-Saúde visa prototipar soluções em TIC que façam uso de tecnologias móveis para apoiar o trabalho de profissionais de saúde.

Edital

Modelo de submissão de propostas

Política de Propriedade Intelectual da RNP

Programa de Monitoramento de Redes - PMON (desde 2014)

O programa lança chamadas de propostas para que pesquisadores possam submeter projetos sobre monitoramento de redes. Os participantes devem ser ligados a organizações de ensino e pesquisa sediadas no Brasil.

  • 2015

Edital

Projetos selecionados

Desenvolvimento de novas técnicas de medições em redes de acesso de banda larga

Proponentes: Wladimir Cabral e Antonio Rocha

Instituição: Universidade Federal Fluminense (UFF)

Plataforma para monitoramento e análise de tráfego em uma rede de testes para avaliação de desempenho de novos protocolos e detecção de anomalias na Internet do Futuro

Proponentes: Igor Alvarenga e Otto Carlos Muniz Bandeira Duarte

Instituição: Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Explorando OpenFlow para a monitoração de rede

Proponentes: Edson Baião e Cecilia Cesar

Instituição: Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA)

Serviço de transformação para correlação do resultado de medições ativas em federações de medição

Proponentes: Jéferson Nobre e Lisandro Zambenedetti Granville

Instituição: Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

FIBREOSS: Um sistema de gerência unificada para o testbed do Fibre

Proponentes: Vitor Farias e Natalia Castro Fernandes

Instituição: Universidade Federal Fluminense (UFF)

  • 2014

Edital

Projetos selecionados

Autenticação federada de usuários nos portais de medição do serviço MonIPÊ (MonIPÊ-federado)

Orientador: Michelle Wangham (UNIVALI)

Estudante: Shirlei Chaves (IFSC)

Resumo: A arquitetura lógica da nova edição do serviço MonIPÊ é composta por diferentes domínios, sendo que diferentes kits de medições foram desenvolvidos para cada domínio. É muito importante que os usuários deste serviço se autentiquem antes de iniciarem suas medições. No serviço MonIPÊ atual, o mecanismo de autenticação de usuários segue o modelo tradicional (isolado) de gestão de identidades. O objetivo deste projeto é prover autenticação federada de usuários no Serviço MonIPê nos diferentes domínios. A solução proposta está baseada no modelo de gestão de identidades federadas e visa tornar os portais de medição em provedores de serviço (SPs) Shibboleth. A federação CAFe Expresso servirá como ambiente de testes da solução.

Avaliação da rede da RNP sob influência de grandes eventos e falhas

Orientador: Alex Borges Vieira (UFJF)

Estudante: Rodrigo Costa Duarte (UFJF)

Resumo: Neste projeto, propomos a discussão e caracterização das características da RNP durante os grandes eventos e períodos de falhas. Nosso objetivo é caracterizar o impacto de falhas no tráfego da rede, no usuário e no comportamento de aplicações. Embora haja um conjunto significativo de trabalhos de caracterização de anomalias e falhas na Internet, o conhecimento do impacto destas falhas no tráfego e no comportamento dos usuários ainda é limitada. Além disso, as características de evolução da Internet, seus usuários e aplicações proporcionam um ambiente muito atraente para a realização de estudos de medição.

Uso de estruturas de dados probabilísticas na geração de matrizes de tráfego em Redes Definidas por Software

Orientador: Rodolfo da Silva Villaça (UFES) e Magnos Martinello (UFES)

Estudante: a definir

Resumo: A maioria das tarefas de gerenciamento em Redes Definidas por Software (SDN) envolvem duas etapas: medição e controle. Enquanto muitos esforços têm sido realizados nas APIs de controle das SDN, pouca atenção tem sido dedicada à medição. O OpenSketch é uma proposta de arquitetura para medição de tráfego em SDN que separa as tarefas entre os planos de dados e de controle. A proposta pode ser implementada em comutadores gerais, de baixo custo no mercado. Em sua versão atual, o OpenSketch não suporta a geração de matrizes de tráfego, uma importante ferramenta na engenharia de tráfego das redes e a maioria das soluções de gerência de redes que trazem essa solução utiliza-se da coleta e análise dos pacotes, o que não é eficiente e nem escala em redes de alta velocidade além de ser um método invasivo. Desta forma, este projeto propõe o uso de estruturas de dados probabilísticas, como as usadas pelo OpenSketch, para medição de fluxos e geração de matrizes de tráfego nas Redes Definidas por Software.

Utilização de tecnologia par-a-par para controle autonômico distribuído em sessões de medição ativa em redes de computadores

Orientador: Lisandro Zambenedetti Granville (UFRGS)

Estudante: Jéferson Nobre (UFRGS)

Resumo: A diversidade de serviços que operam na Internet aumentou significativamente nos últimos anos. Problemas de desempenho nesses serviços causam perdas financeiras importantes. A fim de assegurar que esses problemas não ocorram, níveis de serviço precisam ser monitorados. Uma das principais técnicas para essa monitoração envolve a utilização de mecanismos para medição ativa. No entanto, esses mecanismos são custosos em termos de consumo de recursos em função da necessidade de ativação de sessões de medição. A utilização de tecnologia par-a-par para controle autonômico distribuídos dessa ativação pode auxiliar na diminuição dos recursos necessários. Neste documento propõe-se a utilização de dados da RNP para avaliar esse controle.

Programa de Gestão de Identidade - PGId (desde 2012)

O objetivo do programa é promover o estudo de temas voltados à área de gestão de identidade, como protocolos de autenticação e autorização e infraestrutura de chaves públicas. O programa tem duração de seis meses e os trabalhos selecionados são acompanhados pelo Comitê Técnico de Gestão de Identidade.

  • 2015

Edital

Projetos selecionados

O uso de um segundo fator e autenticação contínua em provedores de serviço críticos

Orientador: Emerson Ribeiro de Mello

Bolsista: Sérgio Nicolau da Silva

Instituição: Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC)

Framework de A&A baseado em políticas e atributos para organizações virtuais

Orientador: Débora Christina Muchaluat Saade

Bolsista: Edelberto Franco Silva

Instituição: Universidade Federal Fluminense (UFF)

Um dispositivo cliente para autenticação desafio resposta para cifragem visual

Orientador: Ricardo Dahab

Bolsista: Felipe Rodrigues Novaes

Instituição: Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Uma ferramenta para monitoramento e otimização da federação CAFe

Orientador: Michele Nogueira

Bolsista: Leonardo Melniski

Instituição: Universidade Federal do Paraná (UFPR)

  • 2014

Edital

Projetos selecionados

Métodos para autenticação e controle de acesso federado em interfaces de linha de comando para gerenciamento de aplicações científicas no SINAPAD

Orientador: Antônio Tadeu A. Gomes (LNCC)

Estudante: Marcelo Monteiro Galheigo

Resumo: Os objetivos deste projeto são o estudo de métodos para autenticação e controle de acesso federado da federação CAFe para a interface de linha de comando, disponibilizada na grade computacional PAD.BR do SINAPAD aos usuários, e a implementação do método que se apresentar mais adequado em relação as necessidades da comunidade científica e do SINAPAD. Vislumbram-se atividades de investigação, arquitetura e prototipagem de soluções que não contemplem somente a adoção da CAFe para autenticação de usuários através da interface de linha de comando da grade PAD.BR, mas também possam ser extensíveis a outras aplicações não-web.

Controle de acesso federado baseado em políticas e atributos para redes experimentais para a Internet do Futuro

Orientador: Débora Christina Muchaluat Saade (UFF)

Estudante: Edelberto Franco Silva

Resumo: Atualmente encontramos vários esforços visando o desenvolvimento de testbeds para a experimentação da Internet do Futuro. Uma necessidade emergente é sua interconexão a fim de permitir que diversas redes sejam unidas de forma a criar um ambiente de testes de maior escala e de maior diversidade de tecnologias e equipamentos. Surge então o problema de gestão de identidade tanto local quanto relacionado à federação desses testbeds. Em trabalhos anteriores, propusemos a integração de federações acadêmicas, tais como a CAFe, às federações de testbeds, baseadas em SFA, para facilitar a autenticação e controle de acesso aos recursos. Este projeto propõe o estudo, avaliação e validação de uma proposta de controle de acesso baseado em políticas, a fim de permitir o controle federado de utilização dos recursos disponíveis nos testbeds.

Proposta de um cartão de Identificação acadêmico baseado no padrão ICAO 9303

Orientador: Jean Everson Martina (UFSC)

Estudante: Felipe Coral Sasso

Resumo: Vários esforços têm sido feitos recentemente no âmbito de federações. Podemos claramente citar a Federação CAFe como um exemplo de sucesso. Os esforços para que os dados de autenticação sejam disponíveis e utilizáveis por todas as entidades da federação são o pilar deste modelo. No entanto alguns problemas se encontram em aberto. O primeiro deles é o funcionamento offline do processo de autenticação. Hoje o modelo da federação requer que os sistemas trabalhem online e de forma síncrona, o que limita seu uso para algumas aplicações. Segundo, os dados da federação somente estão disponíveis para sistemas computacionais e não para as pessoas, tornando assim difícil para os seres humanos envolvidos a avaliação de tais credenciais. Por fim, a federação tem inúmeros problemas técnicos e legais para a disponibilização de dados privados, tais como parâmetros biométricos, que tornariam a autenticação muito mais forte. Desta forma este projeto gostaria de propor um estudo para a criação de um modelo de cartão de identificação baseado no padrão ICAO 9303, o qual deve possibilitar a autenticação off¬line, a identificação de parâmetros de segurança por agentes humanos e permitir a carga de dados biométricos dos usuários pelas instituições emissoras.

  • 2013

Edital

Projetos selecionados

Gestão de identidade, autenticação e autorização na Web das Coisas

Orientador: Cássio Vinícius Serafim Prazeres (UFBA)

Estudante:Tito Gardel do Prado Filho

Um novo paradigma da web, com foco em serviços e aplicações para serem consumidas também por outras aplicações, em contrapartida à web feita apenas para e por pessoas, está se delineando como o próximo passo de evolução da web. Essa evolução deve permitir o surgimento de uma gama de oportunidades e possibilidades de novas e poderosas aplicações para a web. Uma dessas aplicações é a possibilidade de aliar as coisas do mundo físico às coisas do mundo virtual da web, que está sendo chamada de “Web das Coisas”. Objetos físicos do dia-a-dia, como automóveis e eletrodomésticos, dentre outros, podem, com a Web das Coisas, serem legíveis, identificáveis, endereçáveis e, ainda, controláveis utilizando serviços por meio da web. Nesse contexto, questões como segurança, confiança e privacidade são essenciais. Este projeto apresenta uma infraestrutura para disponibilização de dispositivos físicos na Web por meio de barramento de serviços. Para controlar e prover segurança no acesso a esses dispositivos é proposta deste projeto a utilização de mecanismos de autenticação (OAuth) e de identificação (OpenID Connect).

Uma avaliação do uso de documentos aderentes ao padrão ICAO 9303 no âmbito acadêmico

Orientador: Jean Everson Martina (UFSC)

Estudante: Thaís Bardini Idalino

Recentemente, o governo federal criou o Sistema Nacional de Registro de Identificação Civil com a finalidade de implantar o número único de Registro de Identidade Civil – RIC. Esse número único será entregue aos cidadãos no formato de um cartão inteligente. O RIC contará com dois chips, sendo o primeiro sem contato, permitindo que o RIC funcione como um documento de viagem, padrão ICAO 9303 e o segundo com contato, com suporte a multiplas aplicações. O RIC será emitido com certificação digital tornando o processo de identificação pessoal mais rápido e seguro, seja presencialmente, ou em comunicações através da internet. Os avanços tecnológicos implantados no RIC incluem além da assinatura digital, mecanismos de identificação inequivoca do individuo. O objetivo desde projeto é estudar a tecnologia utilizada no RIC, com intuito de conhecer características e limitações de hardware e software. Em especial queremos levantar a sua viabilidade para a integração com as diversas necessidades de auternticação dos sistemas acadêmicos através de pequenas implementações.

Transposição de credenciais para uso de testbeds para a Internet do Futuro

Orientador: Débora Christina Muchaluat Saade (UFF)

Estudante: Edelberto Franco Silva

Atualmente, encontramos vários esforços visando o desenvolvimento de testbeds para a experimentação da Internet do Futuro. Uma necessidade emergente é sua interconexão a fim de permitir que diversas redes sejam unidas de forma a criar um ambiente de testes de maior escala e de maior diversidade de tecnologias e equipamentos. Surge então o problema de gestão de identidade tanto local quanto relacionado à federação desses testbeds. Sendo assim, este projeto propõe avaliar a integração entre a proposta de federação de testbeds SFA (Slice-based Federation Architecture) com o Shibboleth e a transposição de credenciais com base na utilização do STCFed, a fim de facilitar o acesso controlado de usuários às diferentes redes de testes.

Análise da integração de infraestrutura de nuvem privada com federação CAFe e serviço OpenID

Orientadora: Carlos André Guimarães Ferraz (UFPE)

Estudante: Ioram Schechtman Sette

Computação em nuvem vem atraindo a atenção de instituições de ensino e pesquisa e também do mercado nos últimos anos, por possibilitar o uso de computação como um serviço de utilidade. A privacidade dos dados armazenados na nuvem é uma preocupação para os usuários destes serviços, uma vez que a plataforma está exposta na Internet e é compartilhada com outros usuários. Nesse cenário, mecanismos de gestão de identidade e controle de acesso são importantes por se proporem a proteger os dados de acessos indevidos. Federações de identidade permitem ainda que a autenticação dos usuários seja realizada por instituições que de fato os conhecem. A proposta deste trabalho é integrar a autenticação de uma plataforma aberta de computação em nuvem com federações e serviços de gestão de identidade, através dos protocolos SAML e OpenID. Os resultados serão analisados e comparados entre si em relação à facilidade de integração, desempenho e escalabilidade.

  • 2012

Edital

Inscrição para estudantes

Science DMZ (2013)

A RNP lançou uma chamada que selecionou quatro instituições para participar do piloto de testes do modelo Science DMZ, ou "Zona Desmilitarizada Científica." O modelo consiste na criação de um ambiente de rede otimizado para a transferência de dados com alto desempenho, voltado para aplicações científicas.

Edital

Projeto GIGA (2003)

O Projeto GIGA foi um projeto coordenado e executado pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (CPqD), em parceria com a RNP, que teve como missão promover a inovação tecnológica das redes e dos serviços de telecomunicações orientadas à internet por meio da Rede Experimental de Alta Velocidade, denominada Rede GIGA, que permite aos pesquisadores e desenvolvedores participantes ou interligados por meio de outras redes nacionais ou internacionais, a experimentação e a validação de tecnologias de transmissão, de comutação, de protocolos, de serviços e de aplicações de redes.

Edital

Projetos cooperativos em redes avançadas (2001)

O edital "Tecnologia, Produtos e Serviços de Informação e Comunicação, Aplicados em Redes Avançadas" foi lançado pelo CNPq/ProTeM em 22 de outubro de 2001, em associação com a RNP. O resultado foi divulgado em dezembro de 2001.

Das 39 propostas apresentadas, foram selecionadas oito, as quais, além do mérito técnico-científico, atenderam às exigências da chamada. Os oito projetos aprovados neste edital trabalhavam em novos produtos e aplicações, e na capacitação de recursos humanos em redes de comunicação de alta velocidade. A RNP ofereceu conectividade através do backbone RNP2 e das Redes Metropolitanas de Alta Velocidade (Remavs) e deu suporte em qualidade de serviço (QoS).

Redes Metropolitanas de Alta Velocidade (1997)

A partir de uma parceria entre a RNP e o Programa Temático Multiinstitucional em Ciência da Computação (Protem-CC), foi lançado, em outubro de 1997, o edital "Projetos de Redes Metropolitanas de Alta Velocidade", com o apoio financeiro do CNPq e do Comitê Gestor da Internet no Brasil.

Na época, havia uma carência de infraestrutura de longa distância baseada em fibra óptica no Brasil, o que dificultava o estabelecimento de uma rede avançada de alcance nacional, objetivo da RNP. Optou-se, então, pela criação de redes locais de alta velocidade, aproveitando a estrutura e o potencial de algumas regiões metropolitanas.

Como resultado do edital, foram selecionados 14 consórcios. Mais informações no site das Remavs.