UFBA ingressa em plataforma para pesquisas em Internet do Futuro

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) agora faz parte do grupo de instituições brasileiras de ensino que possuem uma instalação do Fibre, plataforma de testes em Internet do Futuro, formada atualmente por 12 ilhas de experimentação em todo o país. Com a base, professores e pesquisadores têm a oportunidade de desenvolver novas arquiteturas para a internet.

O Fibre (Future Internet Brazilian Environment for Experimentation) é uma iniciativa que beneficia a comunidade científica brasileira com um ambiente de experimentação. Segundo Leobino Sampaio, pesquisador responsável pelo projeto na UFBA, com o Fibre, alunos e pesquisadores de Ciências da Computação e áreas afins são beneficiados e podem adquirir familiaridade com o ambiente de Redes Definidas por Software (SDN, na sigla em inglês). ‘‘Com a novidade, inserimos a UFBA no cenário nacional de redes experimentais programáveis. Esses espaços amparam pesquisadores no desenvolvimento de novos protocolos e serviços sem causar impactos na web que utilizamos hoje em dia”, explica.

Atualmente, a UFBA também está envolvida na concepção do projeto Bambu, iniciativa que implanta uma rede metropolitana para experimentação e inovação da internet do futuro e poderá utilizar o Fibre como testbed. O projeto conta com uma colaboração de pesquisadores em diferentes instituições, como a RNP, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), além dos internacionais, como a Florida International University, e a Phillips Research North America. ‘‘O projeto Bambu vem para complementar outras ferramentas já existentes no desenvolvimento de uma nova internet. Esperamos que essa iniciativa de redes experimentais seja uma realidade para mais instituições de ensino e que a pesquisa em redes possa ter esse suporte nos próximos anos’’, reforça o pesquisador.

A RNP disponibiliza o Fibre desde 2010, a partir da parceria entre o projeto Brasil e União Europeia para Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). Criado com o objetivo de inovar nas pesquisas em Internet do Futuro, até agosto deste ano, o Fibre recebeu 324 usuários provenientes de 55 instituições.

Foto: Leobino Sampaio, da UFBA, apresenta o projeto Bambu durante o 17º WRNP, realizado em 2016 em Salvador (BA).