TVs públicas vão usar sinal digital e multiprogramação

"É um grande passo para a democratização do acesso à comunicação no Brasil", afirmou hoje o ministro das Comunicações, André Figueiredo, durante a solenidade que marcou o início da transmissão dos canais do Poder Executivo na TV digital aberta em Brasília.

Várias TVs públicas usarão o mesmo canal digital para divulgar conteúdo, por meio do recurso da multiprogramação. No mesmo sinal da TV Brasil (2.1), o cidadão também poderá sintonizar NBR (2.2), TV Escola (2.3) e Canal Saúde (2.4). O telespectador ainda terá acesso à plataforma interativa de informações de serviços públicos, denominada Brasil 4D, que é baseada em quatro eixos: Digital, Desenvolvimento, Diversidade e Democracia.

Acompanhado do secretário-executivo do MC, Francisco Ibiapina, o ministro André Figueiredo ressaltou que as plataformas vão se tornar um grande canal de transmissão de conhecimento e de integração nacional. Segundo ele, o objetivo é avançar com programações cada vez mais específicas e direcionadas para áreas como educação, saúde e cultura.

A multiprogramação começa este mês no Distrito Federal. Em janeiro, chegará ao Rio de Janeiro e São Paulo, e até o fim do primeiro semestre de 2016 a Belo Horizonte e Porto Alegre. A previsão é implantar os canais do Executivo em mais de 460 municípios até 2019, alcançando um contingente de mais de 120 milhões de pessoas.

Modernização

Os órgãos responsáveis pelos canais contratarão a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) para a montagem da infraestrutura necessária e para a transmissão dos sinais. Na solenidade, o diretor-presidente da EBC, Américo Martins, destacou o papel do Ministério das Comunicações (MC) à frente da iniciativa e agradeceu o convite feito à empresa para liderar esse processo na área técnica.

O gestor da EBC completou o discurso afirmando que a multiprogramação é um marco para a comunicação pública no país e vai revolucionar o acesso da população à TV pública brasileira. "É um grande salto na possibilidade de oferecer aos cidadãos um conteúdo qualificado".

O acordo para oferecer os canais nesse formato é coordenado pelo MC, com o projeto sendo realizado em parceria com a Secretaria de Comunicação da Presidência da República, que é responsável pela NBr, a EBC e os ministérios da Cultura, que atualmente planeja a criação do Canal da Cultura; da Educação, responsável pela TV Escola e futuramente pelo Canal da Educação; da Saúde, tendo a Fiocruz como programadora do Canal Saúde. Participam do grupo ainda a Anatel, a Telebrás e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP).

Fonte: Ministério das Comunicações

Foto: Herivelto Batista/EBC