Taxa de transferência em colaboração científica entre Brasil e EUA chega a 2.2 Gb/s

Pesquisadores brasileiros interessados nos dados do projeto Sloan Digital Sky Survey (SDSS), que captura imagens e espectros de vastas regiões do céu para estudos em diferentes áreas da Astronomia, terão acesso às últimas informações divulgadas pela colaboração internacional com agilidade, graças a uma taxa de transferência de 2.2 Gb/s, nunca antes registrada, entre os Estados Unidos e o portal do Laboratório Interinstitucional de e-Astronomia (LIneA). A instituição é responsável por distribuir esses dados no Brasil e na América Latina.

A taxa de transferência de 2.2 Gb/s foi alcançada por meio da rede acadêmica brasileira, a Ipê, e da arquitetura de rede DMZ Científica (ou Science DMZ), que otimiza o tráfego entre instituições que precisam transferir, em redes de longa distância, grandes volumes de dados.

O coordenador do LIneA, Luiz Nicolaci, ressalta a necessidade de integração entre Brasil e Estados Unidos para colaborações futuras em Astronomia. “Essa ligação com os Estados Unidos a altas taxas de transferência é vital para a participação de brasileiros em outros projetos, como o Dark Energy Survey (levantamento sobre a matéria escura), que produz dados, de uma só vez, na ordem de 47 terabytes anualmente. São informações que precisam ser processadas aqui para que se faça ciência com elas”, afirmou Nicolaci.

Outro projeto que será beneficiado é o Large Synoptic Survey Telescope (LSST), que em breve contará com a participação de 50 pesquisadores brasileiros. O LSST é um telescópio em construção em Cerro Pachón, no Chile, previsto para entrar em operação em 2022. “Com a construção de um centro regional do LSST no Brasil, precisaremos de alta capacidade de transferência de dados, de forma bidirecional”, concluiu Nicolaci.

Desde 2009, o LIneA disponibiliza, em seu datacenter, dados de colaborações internacionais em Astronomia. O portal recebe anualmente mais de 5 mil visitas, tanto de astrônomos quanto de pessoas interessadas em geral. A previsão é de que os últimos dados do Sloan Digital Sky Survey (SDSS) obtidos pelo LIneA sejam disponibilizados à comunidade acadêmica a partir do dia 31/7.