Rute realiza primeira sessão de colaboração em telemedicina entre Brasil e Índia da história

No dia 12/2, o Grupo de Interesse Especial (em inglês, SIG) Doenças Neuromusculares, da Rede Universitária de Telemedicina (Rute), viveu um momento histórico, com a realização da primeira sessão de colaboração em telemedicina entre Brasil e Índia. O encontro contou com a presença do coordenador nacional da Rute, Luiz Ary Messina, e foi abrilhantado por uma palestra do Dr. U.K. Misra com o tema: “Neuromuscular disorders in tropical areas: up to date and challenges”. O professor indiano de Neurologia do Sanjay Gandhi Postgraduate Institute of Medical Sciences tem uma expertise mundialmente reconhecida no assunto, já tendo publicado mais de 400 artigos científicos nessa área de estudo.

Para que tudo corresse bem durante a reunião, houve um trabalho árduo nas das equipes de suporte técnico da Rute no Brasil e da equipe na Índia, assim como da Rede SARAH, nas semanas que antecederam o evento, realizando todos os testes necessários para garantir o sucesso da qualidade da conexão.

No dia da sessão, estavam habilitadas para participar 19 instituições brasileiras e uma indiana: Hospital Geral de Fortaleza (HGF), Hospital Hans Dieter Schmidt- Joinville-SC, seis unidades da Rede SARAH de hospitais de reabilitação (Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Rio de Janeiro, Salvador e São Luís), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), as Universidades Federais de Alagoas (Ufal), Amazonas (Ufam), Bahia (UFBA), Espírito Santo (Ufes), Mato Grosso (UFMT), Juiz de Fora (UFJF), Minas Gerais (UFMG), Pará (UFPA), Pernambuco (UFPE) e Paraíba UFPB), e o Sanjay Gandhi Postgraduate Institute of Medical Sciences (Índia).

Após 45 minutos de exposição do tema pelo Dr. U.K. Misra, seguiram-se 15 minutos de discussão ampla, que enriqueceu a troca de experiências entre os participantes.

“Foi uma experiência maravilhosa participar da primeira conferência em telemedicina entre Índia e Brasil, organizada pelo SIG Doenças Neuromusculares. Os participantes eram bem informados sobre o assunto e muito corteses e encorajadores. Aguardo ansiosamente futuras conferências sobre áreas comuns de interesse”, afirmou o Dr. U.K. Misra.

O estimulador da telemedicina nos BRICS e o conselheiro da Organização Mundial da Saúde (OMS), Dr. Saroj Mishra, também considerou a sessão um sucesso, citando a repercussão superpositiva no país asiático.

“A qualidade do processo de áudio e vídeo foi impecável e muito bem gerenciada no lado brasileiro. Todos os participantes do lado da Índia expressaram sincera gratidão por um desempenho técnico eficaz”, disse.

Pelo lado brasileiro, a satisfação pela excelência alcançada na primeira sessão de colaboração em telemedicina entre os países não foi menor. O coordenador do SIG Doenças Neuromusculares e profissional da Rede SARAH (BH), Dr. Elmano Carvalho, já projeta uma sequência na cooperação.

“Reflexão importante se faz necessária em relação ao evento: desenvolvemos ensino, discutimos ciência de ponta, contribuímos mutualmente com a prática clínica dos colegas, internacionalmente, sem fronteiras e sem os participantes terem de pagar nenhuma taxa. Num ambiente isento de conflito de interesse e mantido por erário público. Pessoalmente, penso que esse é o cenário perfeito, o futuro que se fez presente e superou todas as expectativas. Que tenha sido a primeira de muitas colaborações internacionais da telemedicina Brasil/Índia”, destacou o Dr. Elmano.