RNP institui novo modelo de entrega do serviço Conferência Web

Com o objetivo de atender as grandes instituições de ensino e pesquisa no Brasil, a RNP instituiu um novo padrão de entrega do serviço de Conferência Web, baseado em co-sourcing. Nesse modelo, os clientes oferecem infraestrutura e passam a participar da entrega do serviço, hospedando servidores da plataforma Mconf. Isso foi possível graças à natureza distribuída e escalável, que viabilizou o estabelecimento de parcerias.

“Essa estratégia levará à construção de uma nuvem comunitária elástica nacional de servidores, acessível para qualquer cliente do serviço, pois cada instituição que adere a esta parceria entrega recursos computacionais, infraestrutura, pessoas, para atender sua demanda e contribui com a ampliação da nuvem comunitária para os demais clientes”, ressaltou o analista de Serviços da RNP, Rodrigo Azevedo.

A oferta padrão consiste em fornecer, para cada instituição cliente, 30 contas de usuário e dez Gb de armazenamento de gravação.  Contudo, esse modelo pode ser insuficiente para alguns demandantes, como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), parceira antiga da RNP, que já implementou o novo modelo. Apesar do pouco tempo de uso, as vantagens proporcionadas já vêm sendo percebidas internamente.

“Sempre que pudermos usar recursos compartilhados e desenvolvidos para subsidiar a pesquisa, eles serão bem aceitos na empresa. O Conferência Web possibilita maior flexibilidade e disponibilidade para realização de videoconferência, sem a necessidade de agendamento e suporte para uso do sistema corporativo. Além disso, teremos economia de recursos financeiros com deslocamentos, viagens, passagens, telefonia etc.”, destacou a chefe do Departamento de Tecnologia da Informação (DTI) da Embrapa, Edméia de Andrade.

A expectativa é que 500 contas da Embrapa estejam ativas até o fim de agosto. De acordo com a Edméia, nessa primeira fase, a empresa priorizou a criação de contas para os pesquisadores que estão nos escritórios virtuais na França, Alemanha, EUA e escritórios de negócio da Embrapa que estão localizadas distantes das unidades de pesquisa. Até dezembro, deve ser realizada a integração do Conferência Web com o sistema de vídeo corporativo da empresa, para viabilizar a realização de reuniões da diretoria com o acesso garantido a todos os pesquisadores e gestores, sem que os mesmos tenham que se deslocar para um auditório ou sala de reunião.

Embrapa implementa eduroam

Principal iniciativa da RNP dedicada à questão da mobilidade, o eduroam (education roaming) também foi implementado pela Embrapa recentemente. O serviço é desenvolvido para a comunidade internacional de educação e pesquisa e oferece acesso sem fio à internet sem a necessidade de múltiplos logins e senhas, de forma simples, rápida e segura.

“Este serviço é de fundamental importância, pelo fato de a Embrapa sempre priorizar o trabalho colaborativo e em rede e por ser uma empresa distribuída a nível nacional (46 unidades de pesquisa) e internacional”, contou Edméia.

A parceria entre a RNP e a Embrapa foi formalizada em 2016, por meio do 12º termo aditivo ao Contrato de Gestão RNP, em que a instituição passou a cooperar com o Programa Interministerial RNP (PI-RNP), e ampliada em 2017 com o 15º termo aditivo. O trabalho conjunto tem como foco implementar os serviços avançados da RNP, ações de capacitação, além de acesso em alta capacidade nas unidades da Embrapa.

No ano passado, a empresa implementou o fone@RNP em 25 unidades, o que vem gerando uma grande economia. Neste ano, a parceria possibilitou o lançamento da Rádio Embrapa, chamada ProsaWeb, com programação 24 horas por dia, nos sete dias da semana. Há, agora, a expectativa da inauguração da TV Embrapa, que usará a mesma tecnologia da rádio web e também se integrará ao portal Vídeo@RNP.