RNP instala novo Ponto de Presença em São Paulo no datacenter do NIC.br

- 02/12/2020

A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) instalou um novo Ponto de Presença da rede acadêmica em São Paulo, no datacenter do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). Trata-se de uma infraestrutura que funcionará de forma redundante ao Ponto de Presença da RNP em São Paulo (PoP-SP), abrigado na Universidade de São Paulo (USP). Os dois núcleos estão interconectados por circuitos de altíssimo desempenho, a 100 Gb/s.

A duplicação do Ponto de Presença da RNP em São Paulo passa a constituir um importante ponto de troca de tráfego nacional, devido ao seu caráter estratégico, com múltiplos links internacionais e grande volume de tráfego envolvido. A previsão inicial é a capacidade de banda de 400 Gb/s, sendo 200 Gb/s proveniente das conexões internacionais com os Estados Unidos.

A oportunidade de instalar um outro Ponto de Presença na cidade de São Paulo surgiu dentro de um contexto de cooperação da RNP com o NIC.Br, que ofereceu o espaço em seu novo datacenter. “Temos um longo histórico de cooperação com o NIC.br, onde abrigamos, em mais de 50% dos nossos PoPs, Pontos de Troca de Tráfego (PIXs) da iniciativa IX.br”, informa o diretor-adjunto de Engenharia e Operações da RNP, Ari Frazão Júnior.

Quais projetos ele dará apoio?

A nova infraestrutura apoiará os projetos do PoP-SP, responsável por interligar as Universidades e Institutos Federais de Educação Superior ligadas à RNP. O projeto da Sétima Geração da rede Ipê, que prevê conexões de altíssima velocidade em território nacional, as conexões internacionais com os Estados Unidos, como a do cabo submarino Monet, as iniciativas do IX.br, e a rede metropolitana de São Paulo (Metrosampa), são alguns desses projetos.

O coordenador técnico do PoP-SP, Rogério Herrera Mendonça, comemorou a parceria e elogiou a infraestrutura do datacenter do NIC.br. “Com a duplicação, passamos a ter condições de recebermos mais clientes e com maior capacidade, poderemos realizar manutenções de infraestrutura sem impactos para os clientes, teremos resiliência, com duplas abordagens, ou seja, mesmo que haja falha em um link, o outro estará disponível”, afirma Herrera.

;