RNP firma acordos para novas redes ópticas no interior do Pará

Foto: Assessoria de Comunicação da Sectet.

A RNP firmou parcerias com o governo do Pará e provedores de internet regionais para promover a expansão da infraestrutura de redes ópticas no estado. A cerimônia ocorreu no dia 17/12, na sede da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), em Belém.

Foram firmados acordos de cooperação técnica com a Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa), com participação da Sectet, e acordos de permuta de fibras ópticas com os provedores de internet Wirelink e SEA Telecom.

Além dos municípios já atendidos por redes em fibra óptica no Pará – a capital Belém, Altamira, Castanhal, Marabá e Santarém – outras redes em alta velocidade no interior do estado estão previstas nos municípios de Salinas, Bragança, Parauapebas, Xinguara e Canaã do Carajás, conectando assim as instituições de ensino e pesquisa locais à rede acadêmica nacional.

Pelo acordo de cooperação técnica, a RNP cede ao governo do Pará um par de fibra óptica, efetuando a manutenção da rede no trecho Bragança-Capanema-Salinas, no Nordeste; e no trecho Eldorado do Carajás-Parauapebas-Canaã do Carajás-Xinguara, no Sudeste.

Em contrapartida, o governo do estado cede à RNP um par de fibra óptica, efetuando a manutenção da rede no trecho Marabá-Eldorado do Carajás-Xinguara e nas redes metropolitanas de Bragança, Sapucaia e Xinguara, além da cessão de transporte de dados de 3 Gb/s na rede óptica estadual, a Navegapará, e a manutenção das redes metropolitanas da RNP em Santarém, Marabá, Altamira e Castanhal.

Os novos acordos para a interiorização da rede acadêmica no Pará são uma consequência de um trabalho iniciado em 2010, quando foi assinado um acordo para o início da implantação de redes ópticas nas cidades de Altamira, Castanhal, Marabá e Santarém. Até então, apenas Belém era beneficiada com uma rede metropolitana de fibra óptica.

Em 2014, com a inauguração das redes metropolitanas nessas cidades, houve a maior troca de informações, o desenvolvimento de pesquisas científicas e a integração entre universidades, unidades de pesquisa e órgãos do governo, viabilizados por conexões que chegam a 120 quilômetros de redes em fibra óptica. "Esses acordos com a Prodepa e os provedores Wirelink e SEA Telecom trazem novas redes metropolitanas e novos trechos de longa distância, melhorando o atendimento e integrando ainda mais as instituições usuárias da rede acadêmica no estado", afirma o diretor de Engenharia e Operações da RNP, Eduardo Grizendi.

Fonte: Agência Pará, com informações da RNP.