RNP conclui entrega do Multipresença em duas unidades da Embrapa

A RNP finalizou a entrega do Multipresença em duas unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) ­- uma sala de conferência na Embrapa Agrobiologia (CNPAB), em Seropédica, no Rio de Janeiro e um auditório na Embrapa Sede, em Brasília. A ação faz parte do plano de trabalho contratualizado por meio do 12º Termo Aditivo ao Contrato de Gestão e foi executada pela Diretoria Adjunta de Gestão de Soluções (DAGSol) em parceria com a Diretoria de Pesquisa & Desenvolvimento (DPD).

“A participação da Embrapa nesse ciclo de desenvolvimento permite a experimentação e a implementação de melhorias antes da transição do serviço para produção. Assim, quando o multipresença for disponibilizado no portfólio, poderemos oferecer mais benefícios para as instituições usuárias da RNP”, comenta Daniele Sodré, analista de Negócios da RNP.

A partir de agora, a Embrapa dispõe de um serviço experimental que permite a realização de conferências por meio de múltiplos dispositivos e de altíssima resolução (4K). Uma característica do serviço é a flexibilidade pois a comunicação pode ser feita independente do dispositivo utilizado (desktop, dispositivos móveis como celulares e tablets, etc) e sem limite de usuários. Adicionalmente, o custo de implantação e manutenção também é baixo, principalmente se comparado a uma infraestrutura de videoconferência tradicional.

“Conhecemos o multipresença nos eventos da RNP. A Embrapa, por ser uma empresa de grande porte e geograficamente distribuída em todas as regiões do Brasil, tem a consciência que manter uma infraestrutura de videoconferência com qualidade e desempenho é muito custoso. Quando recebemos o convite para participar o projeto, ficamos muito animados, porque, no primeiro momento, era uma maneira de fortalecer a parceria com a RNP e, no segundo, uma maneira de evitarmos a dependência do mercado de videoconferência. A parceria gerou economia para a Embrapa, por meio de uma solução que tem custo reduzido e possui, muitas vezes, uma qualidade superior. Esses foram os grandes motivadores desse projeto”, afirma o supervisor de TI da Embrapa, Rommel Teodoro de Oliveira.

O aceite da implementação do serviço experimental do Multipresença na unidade Embrapa Agrobiologia ocorreu em março e o da Embrapa Sede no mês de junho. O prazo maior na implantação no auditório para 60 ouvintes em Brasília ocorreu devido à complexidade da entrega.

“A Embrapa Sede recebeu a primeira implantação do Multipresença em um auditório. Foram vários desafios para a equipe, que normalmente trabalhava com equipamentos dedicados para salas de videoconferência convencionais. Além da diversidade dos equipamentos, as conexões utilizadas para permitir o compartilhamento de recursos, como microfones, caixas de som e câmeras, entre o Multipresença e apresentações locais no auditório, ou chamadas de videoconferência tradicionais, foram um desafio para todos os times envolvidos. Apesar das dificuldades, foi uma oportunidade de aprendizado para o projeto Multipresença que será muito bem aproveitada nas próximas instalações”, explicou o gerente Técnico do GT-Multipresença, Guilherme Longoni.