RNP começa a entregar chips do Internet Brasil no início de dezembro

- 23/11/2022

Chegou a hora! A RNP vai entregar nas próximas semanas a primeira leva de 6.250 chips do Programa Internet Brasil. As primeiras cidades contempladas são Mossoró (RN), Caicó (RN), Caruaru (PE), Petrolina (PE), Juazeiro (BA) e Campina Grande (PB). Os seis municípios fazem parte da Prova de Conceito, a PoC, o projeto-piloto do programa. Nessa fase inicial, 15 escolas estão sendo contempladas. O pacote de 20 GB de dados móveis será renovado mensalmente, de forma automática, para os beneficiados pelo programa.

O Internet Brasil tem o objetivo de oferecer acesso à internet por banda larga móvel gratuita a estudantes da rede pública de ensino básico a partir do 3° ano. Um dos diferenciais do programa é que os chips são do tipo neutro. Visualmente iguais aos chips tradicionais, eles têm uma importante diferença: um circuito integrado que pode ser ativado ou desativado a partir da central da RNP, permitindo a mudança remota de operadora em caso de instabilidade do serviço.

A operação remota por parte da RNP cumpre com todos os requisitos da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). O acompanhamento de cada chip não é feito de maneira individualizada, garantindo, assim, a privacidade das atividades online dos alunos e suas famílias.

Com o chip, qualquer lugar vira espaço de aprendizagem

O Internet Brasil vai possibilitar que os alunos complementem seus estudos para além dos muros da escola. Com o chip de banda larga no celular, todos os lugares passam a ser potenciais espaços de aprendizagem. O uso pedagógico é um dos principais objetivos do programa, mas não o único. A distribuição de chips gratuitos pretende também democratizar o acesso à internet, uma vez que as famílias desses alunos também vão usufruir da conexão. Poderão se comunicar de maneira mais efetiva com a escola e os professores de seus filhos, além de ter acesso direto à informação de maneira digital.

“Muitas mães não estão no grupo de comunicação online da escola porque não têm internet por falta de dinheiro para colocar crédito. Hoje, as crianças vão para a porta da escola para se conectar. Agora vão conseguir entrar na rede social, estudar. O professor vai poder passar um trabalho com tarefas digitais para a casa”, resume Bianca Andrade, analista de negócios da RNP.

Em outubro, ela e Hugo Monteiro, gerente do Internet Brasil no Ministério das Comunicações (MCom), percorreram as seis cidades da Prova de Conceito. Ao longo de 13 dias, estiveram nas 15 escolas da PoC. Para Bianca, a série de visitas foi fundamental para mostrar a presença da RNP e do MCom junto às famílias. “Nossa ida foi muito legal porque eles se sentiram muito acolhidos. E retribuíram esse acolhimento, fizeram de tudo para receber a gente. Foi muito emocionante”, conta.

Helaine Mirelli é diretora do Centro de Educação Integrada Professor Eliseu Viana, uma das três escolas de Mossoró (RN) que fazem parte da Prova de Conceito do Internet Brasil, com 450 alunos beneficiados pelo programa. A gestora conta que os professores estão há meses entusiasmados com a chegada do programa. Mas quem não vê mesmo a hora de colocar o chip no celular são os estudantes.

"Acredito que os alunos foram os que ficaram mais satisfeitos com o programa na escola. O acesso será livre para eles, poderão usar tanto para atividades educacionais como as de lazer. A recepção dos pais também foi positiva. Acredito que tudo o que possa favorecer o processo de aprendizagem dos filhos deles é positivo para eles”, conta a diretora.

Instituído pela Lei 14.351/22, o programa Internet Brasil é uma iniciativa do Ministério das Comunicações (MCom), em parceria com o Ministério da Educação (MEC), e está sendo executado pela RNP.

;