Rede Universitária de Telemedicina chega ao Hospital Estadual Sumaré

O Hospital Estadual Sumaré (HES), dirigido pela Unicamp, vai integrar a Rede Universitária de Telemedicina (Rute). Com atuação voltada para as áreas de cirurgia, clínica, pediatria e obstetrícia, a nova unidade vai trazer inovação tecnológica para o HES, que se juntará aos outros 125 polos distribuídos em todo o país.

A inauguração será realizada no dia 6 de junho, a partir das 10h, no Hospital Sumaré. Com este serviço de tecnologia e educação a distância em saúde, a Rute vai promover a interação e capacitação dos alunos em debates com participantes de outras regiões do Brasil por meio de videocolaboração.

A unidade está equipada com tecnologias de última geração no Centro de Ensino e Pesquisa com uma sala climatizada para teleconsulta equipada com notebooks e webcam, TVs LCD, equipamento de videoconferência multipontos, câmeras e projetores de alta definição. O principal objetivo da Rute é proporcionar atividades de pesquisa, aulas e assistência médica, tudo realizado pelas Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC).

A iniciativa é do Ministério da Ciência, Tecnologia, Informação e Comunicações (MCTIC), coordenada pela RNP, que apoia e incentiva a telemedicina em todo o país. Segundo Ivete Saad, gerente de apoio assistencial do HES, a expectativa é que seja oferecido o melhor atendimento e ensino no hospital. ‘‘A telemedicina vem crescendo bastante em todo o país. A chegada da Rute no HES será fundamental para as atualizações dos nossos serviços e também da realização de treinamento e atendimentos à distância”, comenta Saad.

Em 2016, mais de 250 residentes passaram pelo Hospital Estadual Sumaré. Por ter uma das maiores faculdades de medicina do Brasil, a Unicamp possui uma grande infraestrutura na área da saúde. O Dr. Luiz Roberto Lopes, superintendente do HES, releva que a Rute será indispensável na contribuição da formação dos novos profissionais da saúde. “Com a chegada do núcleo, por sermos referência na área médica, teremos um serviço que será um grande diferencial. Poder trocar informações com colegas de trabalho em outras localidades, fazer estudo de caso e discutir conteúdos de precisão, com toda certeza, vai contribuir bastante com o nosso trabalho”, afirma. 

Para o Dr. Sigisfredo Luis Brenelli, presidente da Associação Brasileira de Educação Médica (Abem), a Rute vai contribuir para o aperfeiçoamento dos médicos com as novas tecnologias e também na formação de docentes. “Atualmente, muitos dos jovens médicos e futuros profissionais da saúde pertencem à Geração Y, que está muito habituada com a interferência do avanço tecnológico no dia a dia. A rede é, então, um ótimo instrumento para a segurança dos atendimentos realizados por esses especialistas. A Abem, devido à expansão por que passou recentemente, precisa cada vez mais de profissionais qualificados e a Rute é um ótimo espaço a ser explorado”, finaliza Brenelli.