PROFISSA: Consórcio liderado pela RNP em redes programáveis recebe recursos da Fapesp e CGI.br

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) aprovou o projeto submetido pela RNP que envolve técnicas de engenharia de software em redes programáveis, tendo como casos de uso aplicações de redes 5G e 6G, segurança distribuída e Internet das Coisas (IoT). Chamado de PROFISSA (de Programmable Future Internet for Secure Software Architectures, em inglês), o projeto foi submetido pela RNP à chamada da Fapesp e do Comitê Gestor da Internet do Brasil (CGI.br) para Pesquisa Estratégica sobre a Internet.

A RNP será a instituição-sede do projeto, que tem como pesquisador responsável o diretor-adjunto de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da organização, Lisandro Zambenedetti Granville, além de pesquisadores das universidades UFABC, UFRGS, UnB e UFRJ. 

O valor de financiamento da Fapesp é de R$ 2 milhões e o período de vigência do projeto é de cinco anos. 

Em que consiste o projeto?

Com os recentes avanços em tecnologias voltadas às redes privadas seguras, a quinta geração de telecomunicação (5G) e a Internet das Coisas (IoT), as redes vêm presenciando mudanças nos perfis de uso de forma inesperada com requisitos adversos, como baixa latência, segurança de fluxos ou alta resiliência a qualquer momento.

Tais mudanças, quando aplicadas sobre redes programáveis, podem envolver modificações no software desenvolvido para a rede. Técnicas de engenharia de software podem ser aplicadas para melhorar, agilizar ou otimizar o desenvolvimento de software de rede, especialmente quando mudanças no perfil de rede ocorrem.  

Nesse caso, o projeto PROFISSA é proposto para investigar, mapear e avançar a utilização de técnicas de engenharia de software quando aplicadas às redes programáveis no intuito de melhorar a qualidade estrutural, funcional e do processo de desenvolvimento de programas de rede. 

O projeto proverá um arcabouço de códigos modulares e reutilizáveis de programas de rede desenvolvidos com boas práticas de desenvolvimento. Além disso, os programas de rede desenvolvidos no projeto serão executados em ambientes reais de redes programáveis implementadas sobre um testbed para desenvolvimento e análise de software de rede.  

Para tanto, busca-se, entre outros objetivos, a integração entre a RNP e o projeto FABRIC americano, para criar ambientes de redes programáveis reais de última geração, levando em consideração, por exemplo, a utilização da programabilidade no plano de dados com a utilização de dispositivos que suportam P4.

Leia mais sobre o projeto na proposta submetida à Fapesp.
 

;