Plataforma Sismoi é tema central de oficina no Nordeste

A RNP organizou uma oficina de Consolidação de Indicadores Sismoi-Semárido, em Campina Grande (PB), nos dias 12 e 13/6. Sediado pela Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP) e Núcleo Regional do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), o encontro abordou o tema ‘Indicadores para as Seguranças Hídrica, Alimentar e Energética e Impactos de Mudanças Climáticas no Semiárido’, que é parte do desenvolvimento da plataforma Sistema Brasileiro de Monitoramento e Observação dos Impactos das Mudanças Climáticas (Sismoi).

Representantes do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) participaram ativamente da organização e condução do evento e são parceiros da RNP no desenvolvimento da plataforma. O Sismoi visa integrar os componentes climáticos, a fim de apoiar a formulação de políticas públicas para as áreas ambiental, econômica e social. “O objetivo dessa etapa colaborativa era conferir validade científica aos indicadores de impacto das mudanças climáticas que serão disponibilizados no sistema”, destacou a analista de Negócios da RNP responsável pelo Sismoi, Daniele Sodré.

Para promover a maior conscientização ambiental da sociedade civil e garantir um menor risco de investimento do setor privado, a plataforma irá disseminar informações atualizadas sobre os efeitos e impactos das mudanças climáticas. A previsão do lançamento é para o próximo semestre deste ano, e terá o prelúdio no Semiárido Nordestino, uma área de grande vulnerabilidade a essas mudanças, principalmente no recorte temático de recursos hídricos.

“A plataforma poderá nos ajudar a melhor compreender os riscos e assim planejar ações de adaptação, desde já, para reduzir a exposição e a vulnerabilidade associadas às mudanças climáticas no Semiárido Nordestino, num primeiro momento, e depois na Amazônia, nos Pampas, enfim, no país inteiro”, declarou o analista de C&T do MCTIC, Rodrigo Braga.

De acordo com o vice-coordenador do Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CCST) do Inpe, Peter Toledo, o objetivo é entregar aos tomadores de decisão informações vinculadas a impactos futuros de mudanças climáticas em diferentes segmentos da sociedade: socioambientais, econômicos, de saúde. Ela acrescenta ainda sua visão sobre a união de esforço entre o Inpe e a RNP: "Essa parceria é estratégica, justamente nessa questão de produção da informação, sua disseminação e as melhores ferramentas para que essas informações cheguem em cada cidadão. Criamos uma parceria com grande potencial".