Pernambuco lança rede estadual de educação e pesquisa em parceria com a RNP

Em cerimônia realizada em Recife na última terça-feira (11/7), o governo de Pernambuco lançou a Rede Pernambucana de Pesquisa e Educação (RePEPE), primeira rede estadual formada em parceria com a RNP para fins de educação e pesquisa. Em sua primeira fase, a rede levará internet de alta velocidade para 20 cidades, chegando a 10 de 12 regiões de desenvolvimento do estado. Com isso, a estimativa é beneficiar até 400 campi de instituições de ensino e pesquisa e centros tecnológicos até 2018.

Até o final deste ano, o governo estadual investirá R$ 10 milhões no projeto, que conta com a coordenação técnica do Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep) e do Ponto de Presença da RNP no estado (PoP-PE). Os recursos foram financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para a aquisição de equipamentos de transmissão de dados nas primeiras fases de implantação da RePEPE.

O acordo de cooperação técnica concede ao governo de Pernambuco e à RNP a utilização da infraestrutura de distribuição de energia elétrica da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), como postes em áreas rurais, para a instalação de cabos ópticos. Nas duas primeiras fases de implantação, a meta é expandir a rede estadual em cerca de 1.200 km rumo ao interior, alcançando os municípios de Garanhuns, Caruaru, Petrolina e Araripina.

O acordo firmado com o governo de Pernambuco, por meio da Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-PE), faz parte do Programa Veredas Novas Estaduais da RNP, que tem o objetivo de apoiar os governos dos estados que possuem estratégias de interiorização de redes para a educação e, dessa forma, dar suporte à ampliação de suas políticas públicas. O Programa é fruto da parceria do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) com o Conselho Nacional de Secretários para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação (Consecti).

Dentro do Programa Veredas Novas Estaduais para Pernambuco, serão conectados à capital Recife quatro centros tecnológicos no interior, em Garanhuns, Araripina, Petrolina e Caruaru. Além deles, a interiorização beneficiará outras 12 instituições usuárias no Estado. “Em nossa visão 2020, os campi do interior são âncoras do processo de inclusão digital no território e, portanto, deverão estar interligados com velocidades a partir de 1 Gb/s”, declarou o diretor-geral, Nelson Simões.

A parceria com os estados em benefício de ações regionais em ciência, tecnologia, inovação e educação permitirá a inclusão de institutos e universidades estaduais e municipais ao Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, além de projetos colaborativos com as entidades conectadas à rede metropolitana de Recife (Rede Ícone) e o apoio a programas de inclusão de escolas de educação básica.

O projeto de implantação da RePEPE foi impulsionado pelo Programa Nordeste Conectado, lançado em junho pelo Ministério da Educação, que investiu R$ 25 milhões para levar conexões de alta velocidade ao interior do Nordeste até dezembro. A iniciativa criou condições favoráveis para que os Estados possam compartilhar dessa nova infovia, que se utiliza da infraestrutura de fibra óptica da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf). A empresa tem um acordo de cooperação técnica com a RNP desde setembro de 2016 para compartilhamento de infraestrutura, tendo como suporte as linhas de transmissão da companhia.

Fonte: Governo de Pernambuco, com informações da RNP.

Foto: Ascom/Governo de Pernambuco.

Leia mais:

Ministério da Educação lança Programa Nordeste Conectado em parceria com a RNP

Acordo entre RNP e Chesf levará melhor infraestrutura de telecomunicações para o Nordeste