Ministério da Educação lança Programa Nordeste Conectado em parceria com a RNP

Nesta sexta-feira (30/6), o Ministério da Educação (MEC) lançou, em Recife, o Programa Nordeste Conectado, que interligará, em alta velocidade, instituições federais de educação e pesquisa nas capitais e no interior do Nordeste. O Programa, viabilizado por meio da cooperação entre a RNP e a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), vai possibilitar que instituições estaduais e escolas da educação básica também tenham acesso à essa infraestrutura de alto desempenho. Segundo o MEC, será possível atingir 12 mil escolas da rede pública e beneficiar 16 milhões de pessoas em nove estados do Nordeste. 

Para a implantação da primeira fase do Programa, prevista para operar a partir de dezembro, o MEC investirá R$ 25 milhões em 2017 na ampliação da capacidade do backbone da RNP em até 100 Gb/s. Dessa forma, será possível conectar, em alta velocidade, 39 campi das principais universidades, institutos de educação e centros de pesquisa no Nordeste. Até dezembro, 23 campi de institutos federais serão beneficiados, com velocidade a partir de 1 Gb/s.

Ao todo, o Programa pretende ampliar o alcance da rede da RNP para 77 cidades. Em 2018, a previsão é a de que a RNP venha a gerar uma economia anual de R$ 3,7 milhões no atendimento a essas instituições, no custeio de conexões com velocidades limitadas (de até 100 Mb/s) e conexões por satélite no interior (de até 10 Mb/s).

Participaram da cerimônia de lançamento, realizada no Porto Digital, o ministro da Educação, Mendonça Filho; o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho; o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia; o diretor-geral da RNP, Nelson Simões; o diretor de Ecossistemas Digitais do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Otávio Caixeta; o presidente da Chesf, Sinval Gama; o senador Fernando Bezerra Coelho; e o professor Silvio Meira, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Em sua apresentação, o diretor-geral da RNP, Nelson Simões, ressaltou a importância da parceria com a Chesf para integrar alunos, professores e grupos de pesquisa no interior, que não tem acesso à internet com a mesma qualidade das capitais. “Estamos vendo uma nova geração da rede de pesquisa brasileira começando pelo Nordeste”, afirmou Simões.

O ministro da Educação, Mendonça Filho, comemorou a iniciativa. “É um Programa de expressão regional, que coloca o Nordeste em vantagem competitiva e com conexão para o mundo. Temos um compromisso com o futuro, em dotar nossa ciência de espaço para crescer e, para isso, precisamos de infraestrutura”, declarou Mendonça Filho.

Parceria com governos estaduais

A cooperação técnica entre a RNP, o MEC e a Chesf tem como principal objetivo a integração de redes ópticas, pelo compartilhamento de infraestrutura em todo o Nordeste, tendo como suporte as linhas de transmissão da Chesf. Uma das metas é acompanhar a evolução da rede acadêmica nacional nos próximos 20 anos, elevando o patamar de conectividade para até 100 Gb/s. O Programa também irá reduzir custos anuais de R$ 3,7 milhões com a contratação de conexões de velocidades limitadas e ampliar parcerias com os provedores locais e regionais de internet, para aumentar ainda mais a capilaridade dessas redes em fibra óptica para o interior.

O Programa ainda abre espaço para os governos dos estados do Nordeste participarem da iniciativa Veredas Novas Estaduais, que visa, pelo compartilhamento dessa nova infovia, interligar instituições municipais e estaduais e apoiar o desenvolvimento de políticas públicas.