Levantamento Dark Energy Survey disponibiliza acervo de três anos de observação

No dia 10/1, o projeto Dark Energy Survey (DES) tornou público o acervo de dados acumulado em três primeiros anos de observação. O chamado Data Release 1 (DR1) é o maior conjunto de dados fotométricos disponível com a profundidade, área e precisão alcançada do Hemisfério Galáctico Sul e o seu acervo consiste de aproximadamente 400 milhões de objetos detectados em 10.000 imagens co-adicionadas, produzidas de aproximadamente 40.000 exposições.

Para acessar os dados do DR1, o usuário pode escolher entre três ferramentas: uma desenvolvida pelo National Center for Supercomputing Applications (NCSA), outra pelo National Optical Astronomy Observatory (NOAO) ou a desenvolvida pelo Laboratório Interinstitucional de e-Astronomia (​LIneA​), sediado e coordenado pelo Observatório Nacional, com a participação do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC) e da RNP.

Inicialmente, os dados serão distribuídos a partir do NCSA, no qual o usuário interessado deve se registrar. Por meio de um acordo estabelecido com o NCSA e a colaboração DES, o LIneA está desenvolvendo um sistema integrado que inclui ferramentas de visualização de imagens, sobreposição de catálogos e de buscas no banco de dados Oracle, mantido pelo NCSA. “Um protótipo está em operação do Fermilab desde abril 2014, com mais de 4500 visitas de mais de 250 usuários registrados. A partir desse aprendizado, um novo sistema vem sendo desenvolvido, desta vez no ambiente do NCSA, onde os dados residem”, afirmou o coordenador do LIneA, Luiz Nicolaci.

O levantamento Dark Energy Survey (DES) conta com a participação de cientistas brasileiros apoiados pelo Observatório Nacional (ON), por meio do LIneA e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do e-Universo (INCT e-Universo). O estudo internacional é composto por 400 cientistas de sete países diferentes.

Parceria entre RNP e LIneA

A RNP apoia o LIneA desde agosto de 2012, disponibilizando o acesso ao serviço de aprovisionamento de conexões para a realização de transferências de grandes volumes de dados, realizando diagnósticos com o objetivo de identificar eventuais problemas de conectividade entre parceiros nacionais e internacionais e elaborando e coordenando programas de P&D de ferramentas de apoio à transferência de dados.

Fonte: LIneA

Crédito da foto: Dark Energy Survey.

Leia mais:

INCT e-Universo oferece bolsas para pesquisadores brasileiros

Cientistas brasileiros vão participar de projeto internacional de Astronomia