Internet2 Global Summit destaca iniciativas globais para conexões de altíssima velocidade

Conexões de altíssima velocidade ao redor do mundo foram destaque da programação do Internet2 Global Summit 2019, um dos principais eventos que reúnem redes para ensino e pesquisa. O encontro, organizado pela rede acadêmica norte-americana Internet2, ocorreu entre os dias 5 a 8/3 em Washington, nos Estados Unidos.

A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) participou de diversos momentos do evento, entre eles da sessão que destacou iniciativas inovadoras para se alcançar a primeira rede de educação e pesquisa com capacidade de 100 Gb/s no mundo. Uma dessas iniciativas é o projeto Bella, que irá conectar diretamente a Europa e a América Latina, liderado pela Cooperação Latino-Americana de Redes Avançadas (RedCLARA) e a rede europeia Géant.

O gerente técnico da RedCLARA, Marco Teixeira, apresentou o projeto da nova infraestrutura de redes de altíssima capacidade que será construída na América Latina, dedicada para educação e pesquisa, no âmbito do projeto Bella. O projeto se divide na implantação do cabo submarino, Bella-S, e na infraestrutura de redes terrestre, Bella-T, o que trará uma melhoria significativa em conectividade na região.

“Esse aprimoramento garantirá que o enorme avanço da capacidade transcontinental seja distribuído uniformemente por toda a região e que, por meio de sinergias com as NRENs latino-americanas, ele aumente a capilaridade e a igualdade de acesso aos serviços intercontinentais para todos os usuários finais de educação e pesquisa na região”, afirmou Marco Teixeira, em sua apresentação.

Já o coordenador de projetos da RNP Oswaldo Alves apresentou a estratégia para o projeto de evolução tecnológica da rede acadêmica brasileira, a rede Ipê, que também irá contribuir para o avanço do projeto Bella. 

Acesse as apresentações no site do evento.

Estudo de caso sobre autenticação multifator

A RNP também participou do Internet2 Global Summit na trilha de Gestão de Identidade, com o estudo de caso sobre a solução para autenticação multifator, desenvolvida no Brasil pelo Grupo de Trabalho Autenticação Multifator para Todos (GT-AMPTo), com coordenação da RNP.

A professora da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) e coordenadora do Comitê Técnico de Gestão de Identidade da RNP (CT-GId), Michelle Wangham, compartilhou a experiência brasileira com a solução de código aberto que oferece autenticação multifator para provedores de identidade usando Shibboleth, que segue o modelo do REFEDS – grupo internacional de federações para educação e pesquisa.

Saiba mais sobre o tema no site da Internet2.