Fórum em Angola discute desenvolvimento científico no país

Categoria
- 03/02/2017

Nos dias 31/1 e 1º/2, o Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT) de Angola realizou a primeira edição do Fórum Futuro, na capital Luanda. O evento teve como tema o impacto da ciência, tecnologia e inovação no crescimento e na diversificação da economia angolana, com o objetivo de sensibilizar representantes políticos e da sociedade civil para a importância do setor de CT&I no desenvolvimento sustentável do país.

Participaram do encontro, a convite do MCT angolano, o diretor-geral da RNP, Nelson Simões, e o de Engenharia e Operações, Eduardo Grizendi, que na ocasião representou a diretoria da Cooperação Latino-Americana de Redes Avançadas (RedCLARA). A RNP foi pauta em um dos painéis, que compartilhou sua experiência de como uma rede acadêmica pode contribuir para o Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação de seu país. Também participaram especialistas de Portugal, África do Sul, Costa do Marfim e Moçambique. Um dos destaques foi a apresentação do diretor-executivo da rede acadêmica moçambicana, MoRENet, Lourino Chemane, sobre a implantação da infraestrutura que já interliga 49 institutos de ensino e pesquisa no país.

“O saldo foi a clara compreensão e o compromisso de instituições e lideranças nacionais de criar uma rede de ensino e pesquisa em Angola. Outra mensagem importante foi a de que os investimentos em ciência e tecnologia devem ser contínuos, constantes, e que o público alavanca o privado. Ou seja, se não houver regularidade no investimento público, o privado não ocorre”, conta Nelson Simões.

Ainda no evento, a empresa de telecomunicações Angola Cables anunciou a conclusão, em 2018, da ligação do cabo óptico submarino South Atlantic Cable System (Sacs), entre as cidades de Fortaleza e Luanda. Além do Sacs, que vai garantir a primeira conexão de alta capacidade entre o Brasil e a África, também está previsto, para 2017, o lançamento do Monet, outro cabo submarino financiado pela Angola Cables, em parceria com a Google e a brasileira Algar Telecom, reforçando as conexões entre o Brasil e os Estados Unidos e ampliando a saída internacional de Angola.

Foto: Isenta Comunicação.

© 2019 - RNP Todos os direitos reservados.   |  Conheça nossa Política de Privacidade