Evolução dos serviços públicos e implantação do 5G na Amazônia: como foi o 1º Seminário do Programa Norte Conectado

- 12/09/2022

Santarém, Pará. 33º C. 10h da manhã. Não muito longe de onde o rio Tapajós se encontra com o rio Amazonas, também se reunia uma comitiva com representantes da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP); Ministério das Comunicações (MCom); Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI); Ministério da Educação (MEC); e Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, vinda principalmente de Brasília. Começava ali a programação do 1º Seminário do Programa Norte Conectado, para discutir o papel da iniciativa na evolução dos serviços públicos e na implantação do 5G na Amazônia. 

Visita técnica

 

Para começar, foi feita uma visita técnica ao Data Center Modular de Santarém (PA), localizado no campus Tapajós da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa). O container que guarda o equipamento é a “ponta”, onde termina os cabos de fibra óptica que vem do Rio Amazonas. Além deste visitado em Santarém (PA), há outros quatro distribuídos pelas cidades Macapá (AP), Almeirim (PA), Monte Alegre (PA) e Alenquer (PA), que estão interligadas pelo Programa.

Escola Fluminense

 

Depois, foi hora de conhecer a Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental Fluminense. O colégio público com cerca de mil estudantes é conectado por outro projeto de conectividade, o Programa de Inovação Educação Conectada (PIEC), iniciativa do MEC. Em breve, a escola será atendida pela Rede Metropolitana de Santarém, por meio das Redecomep (Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa), que realiza implantação de redes de alta velocidade nas regiões metropolitanas do país conectadas por Pontos de Presença (PoPs) da RNP. A mudança vai proporcionar melhoria na qualidade e aumento da capacidade de internet.
 

 

De volta ao campus Tapajós, na Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), no início da tarde, às 14h, o auditório se tornou palco para discussões sobre o Programa Norte Conectado. A abertura do evento contou com a presença da Secretária de Telecomunicações do MCom, Nathalia Lobo; também do MCom, Marcus Arrais, coordenador do Comitê Gestor do Programa Norte Conectado; o diretor-geral da RNP, Nelson Simões; a reitora da Ufopa, a professora Adelnize Xavier; e o consorciado líder do Operador Neutro e CEO da Wirelink, Sérgio Ribeiro.

Abertura

 

Neste momento, a professora Adelnize Xavier assumiu o microfone e deu as boas-vindas aos presentes, por meio de uma fala inspiradora. “A Universidade é um diferencial na formação e no desenvolvimento da nossa gente. Hoje, os olhos do mundo se voltam para a Amazônia, mas poucas pessoas vêm aqui e olham nos nossos olhos para saber o que de fato a gente quer. É a partir da nossa gente que um modelo de desenvolvimento sustentável deve ser criado. E, para isso, as pessoas daqui precisam ser capacitadas, formadas e ouvidas, para que sejam a transformação que nossa região precisa. E isso só é possível através da Universidade. Agradeço muito a disponibilidade de cada um vocês de estarem aqui, conhecendo a nossa cidade e a região por onde o Programa Norte Conectado passa”, discursou.

A Secretária de Telecomunicações do MCom, Nathalia Lobo, também falou ao público na abertura e celebrou a entrega da Infovia 00, que liga de Macapá (AP) a Alenquer (PA): “É com muita alegria que a gente comemora hoje a entrega do Operador Neutro, para melhorar a qualidade da internet da região. Estarmos aqui é uma oportunidade para aprendermos sobre a realidade da região Norte”. Em seguida, Marcus Arrais, coordenador do Comitê Gestor, apresentou o Norte Conectado, desde sua criação, passando pela operação e manutenção da Infovia 00 e, mais recentemente, a formação do consórcio do Operador Neutro, até os marcos mais atuais.

Celebrado o início do evento, o primeiro painel do Seminário discutiu sobre a evolução dos serviços públicos na região, impulsionada pelo Norte Conectado. Participaram desse momento a diretora de Articulação e Apoio às Redes de Educação Básica no MEC, Ana Caroline Santos Vilasboas; a analista de Ciência e Tecnologia do MCTI, Cristina Uechi; a gerente de projetos no  Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, Suzana Oliveira; o coordenador-Geral de Estudos e Conectividade do MCom Marcel Fleury; a reitora da Ufopa, Adelnize Xavier; com mediação de Eduardo Faria, assessor técnico na Casa Civil da Presidência da República.

Primeiro painel

 

Em seguida, o segundo painel discutiu sobre o Desenvolvimento do Setor de Telecomunicações na Região Amazônica – Norte Conectado e o 5G. Fizeram parte desse debate o diretor de Engenharia e Operações da RNP, Eduardo Grizendi; o gerente Regional nos estados do Pará, Maranhão e Amapá da Anatel (Agência Nacional De Telecomunicações), Carnot Guimarães; o CEO da Wirelink, Sérgio Ribeiro; e o membro do Conselho de Administração da Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint), Janyel Leite. Quem moderou o debate foi Eduardo Tude, presidente da consultoria Teleco.

5g

 

Na oportunidade, o diretor de Engenharia e Operações da RNP contextualizou sobre os passos dados até aqui no Programa e o que vem por aí. “Nós precisávamos idealizar um modelo de compartilhamento e fizemos na forma de um consórcio aberto de provedores e operadoras. Nós já finalizamos a Infovia 00, ela já está operacional. Tudo de forma muito colaborativa, com competências compartilhadas. Agora, é Infovia 01. Ela não será implantada, no futuro. Ela já está em implantação agora, no presente, e deve ser finalizada até o primeiro trimestre de 2023”, anunciou Grizendi.

Por fim, o terceiro e último painel tratou sobre o Modelo de Governança do Norte Conectado – Comitê Gestor e a Operação Neutra. Dessa vez, a secretária Nathalia Lobo, do MCom, moderou a conversa, com participação de Marcus Arrais, também do MCom; o diretor-geral da RNP, Nelson Simões; e Ana Caroline Vilasboas, do MEC. 

Nelson Simões

 

Então, Nelson Simões defendeu a importância de contar com os múltiplos atores que fazem parte do Norte Conectado para o sucesso do Programa. “Esse momento de hoje é muito rico. Vimos aqui hoje representados Governo, Setor Privado, Universidade... Se a gente não conduzir um processo articulado e orquestrado para superar as deficiências que temos em nosso país, em telecomunicações ou em ciência e pesquisa, por exemplo, é muito difícil conseguir êxito. Ninguém faz sozinho no Brasil. Estamos fazendo em conjunto, com cada um entendendo e suportando o papel do outro. Esse é o modelo que foi pensado para disponibilizar o acesso de internet, com qualidade, na Amazônia. Fico muito feliz de chegar aqui e ver que está dando certo!”, vibrou.

Sobre o Programa Norte Conectado

Essa iniciativa que visa expandir a infraestrutura de comunicações na Região Amazônica, ampliar o acesso à internet da região e, assim, atender às políticas públicas de telecomunicações, educação, pesquisa, saúde, defesa e do judiciário. O Programa já lançou, em ambiente subfluvial, um backbone em fibra óptica que interliga de Macapá (AP) à Alenquer (PA), passando por Almeirim, Monte Alegre e Santarém, três cidades no Pará. Para a implantação da chamada Infovia 00, foram lançados 770 km de cabos em fibra óptica no leito do Rio Amazonas, com operação e manutenção do chamado Operador Neutro, um consórcio de seis empresas, liderado pela Wirelink. A Infovia 00 é a primeira de um total de oito infovias que conectarão a região Norte. 

;