Embrapa Meio Ambiente promove debate sobre segurança de alimentos

Nesta quarta-feira (11/10), a rede global NutriSSAN promoveu a sua terceira conferência sobre segurança de alimentos, com a participação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). A pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente e engenheira agrônoma Fagoni Fayer Calegario foi a palestrante convidada e apresentou o tema "Produção integrada como sistema de gestão de qualidade e segurança de alimentos no segmento primário".

Segundo a pesquisadora, a produção integrada vai desde o manejo adequado no campo até a comercialização de produtos, para garantir a inocuidade do alimento, ou seja, a garantia de que os alimentos estejam isentos de qualquer perigo que coloque em risco a saúde ou a integridade do consumidor. “Para isso, existe um programa com pré-requisitos que precisam ser cumpridos à risca, com critérios para adubação, uso de agrotóxicos e irrigação da planta, dentro das boas práticas agrícolas, até mesmo sobre as condições de higiene que o alimento chega à indústria. Tudo influencia a qualidade do alimento, que precisa ser saboroso, íntegro e seguro”, explica Fagoni.

O seminário foi direcionado a profissionais que atuam em segurança de alimentos, desde engenheiros agrônomos, citopatologistas, nutricionistas e médicos, mas também para as organizações de consumidores e toda a sociedade. “É um assunto de interesse de todos porque todos se alimentam. Alimentar-se de uma comida segura é um direito estabelecido pelo Código de Defesa do Consumidor, e trata-se de uma violação quando isso não é garantido”, afirmou a pesquisadora.

Ainda de acordo com a palestrante, para que os alimentos no mundo atinjam o nível de excelência, é necessária a atuação conjunta de profisionais da academia e diversas instituições de pesquisa, ensino, extensão, órgãos públicos reguladores, órgãos de defesa do consumidor, de saúde e vigilância, entre outros. "A sensibilização e atuação da sociedade civil organizada será fundamental para que os consumidores passem a ter consciência de seus direitos e a cobrar por alimentos de alta qualidade e segurança", declarou Fagoni. 

A Embrapa é a instituição que atua diretamente em segurança de alimentos no Brasil, com cerca de cem pesquisadores envolvidos na construção de programas de produção integrada e avaliação de impacto socioambiental. Atualmente, unidades da Embrapa constituem o Grupo de Interesse Especial (SIG) em Segurança de Alimentos da rede global NutriSSAN, cooperação nacional e internacional voltada para a soberania e a segurança nutricional e alimentar.

Sobre a NutriSSAN

A rede global NutriSSAN atualmente é formada por 11 instituições ativas participantes e composta por dois Grupos de Interesse Especial (SIG), de Obesidade, liderado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), e de Segurança de Alimentos, que conecta unidades da Embrapa. Em operação desde o primeiro semestre de 2017, mais de 48 encontros já foram realizados pelo serviço de Conferência Web, contabilizando mais de 155 horas de uso e a presença registrada de mais de 420 participantes conectados. A rede faz parte da iniciativa Nutrição para o Crescimento (Nutrition for Growth - N4G), que surgiu no Reino Unido em 2013 e visa unir esforços da comunidade internacional para combater a fome, a má nutrição e a pobreza.