Edital da RNP apresenta novas formas de gerar inovação no sistema de P&D

“Primeiro passo de aproximação da RNP com o ecossistema de inovação do país”. Foi assim que a diretora de P&D da RNP, Iara Machado, resumiu a importância do edital para Programas de P&D de 2019, durante a cerimônia de lançamento, realizada no dia 26/2, no Rio de Janeiro.  Pesquisadores de instituições públicas e privadas e integrantes de startups poderão enviar suas propostas de projetos na área de Tecnologias da Inovação e Comunicação (TIC) até 31/3.

Pela primeira vez, o projeto passa a incluir o ecossistema de inovação no edital, com o propósito de fomentar a criação de novas startups e também apoiar as já existentes. De acordo com o Diretor do Departamento de Ecossistemas Inovadores do MCTIC, Otávio Caixeta, o edital dialoga fortemente com o que o ministério tem focado para os próximos anos. “Nosso trabalho vem ao encontro desse da RNP. Espero que a sociedade seja beneficiada com essa iniciativa”, destacou Caixeta.

O programa de P&D da RNP começou em 2002 e, ao longo desses 17 anos, gerou muitos resultados importantes para as instituições de ensino e pesquisa atendidas pela organização. A mudança do edital é resultado da nova portaria interministerial que ampliou a atuação do Sistema RNP, incluindo redes de colaboração de comunidades.

O diretor-geral da RNP, Nelson Simões, destacou a importância dessa aproximação, a fim de encontrar novas formas de gerar inovação no sistema de P&D. “Os programas de P&D são estruturantes para a educação e a pesquisa no Brasil. E queremos estar mais perto do sistema nacional de inovação, por isso, essa chamada é um primeiro passo. Agora precisamos aprender a transformar nossa infraestrutura para beneficiar parques tecnológicos, startups, aceleradoras e demais integrantes desse ecossistema”, ressaltou Simões. Para o presidente da Anprotec, José Alberto Aranha, o governo tem um papel importante na geração de inovação no Brasil e avaliou que a RNP “está um passo à frente, mostrando para gente como essas parcerias devem seguir”.

Diante desse cenário, a RNP busca propostas que possam auxiliar na expansão dos serviços oferecidos pela rede. Por isso, o edital incentiva a submissão de temas específicos, com projetos nas áreas de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) aplicadas na Educação e Saúde, Cibersegurança, Monitoramento de Redes, Gestão de Identidade, além de Infraestruturas e Aplicações para campi universitários.

Contudo, existem alguns pontos que precisam ser ajustados, como avaliou o professor da UFRJ, Edmundo Souza e Silva, que destacou a importância de se criar esse ecossistema de inovação nas universidades, diminuindo a burocracia para a criação de novas empresas a partir de projetos acadêmicos. “Ter flexibilidade é muito importante. Somos um país com muitas amarras burocráticas e isso é inaceitável”, analisou o professor.

Os resultados tecnológicos de P&D contribuem diretamente para o desenvolvimento econômico e social do país. Ao unir este programa ao modelo aberto das startups, há o aproveitamento de ideias dinâmicas e inovadoras que demonstram originalidade e relevância nos usos da tecnologia.

Ficou interessado?

Conheça o edital de P&D de RNP em 2019.