Cooperação Brasil-União Europeia seleciona projetos de pesquisa em TIC

Especialistas brasileiros e europeus realizaram a avaliação dos projetos da 4ª Chamada Coordenada Brasil-União Europeia em Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), entre os dias 29 e 31/5, em Brasília. No processo de seleção, foram analisadas 50 propostas inscritas nas áreas de Internet das Coisas (IoT), Redes 5G e Computação em Nuvem. Desse total, apenas seis projetos serão financiados conforme o edital lançado em parceria com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP). O anúncio oficial do resultado deve acontecer no início de julho.

O objetivo das chamadas é promover a pesquisa e o desenvolvimento em áreas estratégicas de TIC, por meio de consórcios entre instituições científicas e tecnológicas e empresas brasileiras e europeias. A gestão e a execução dos projetos selecionados são realizadas em conjunto pela União Europeia e RNP, com apoio e supervisão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

“O painel de consenso, com avaliadores brasileiros e europeus, faz parte de um processo de seleção bem maduro e equilibrado, sendo realizado alternadamente no Brasil e na União Europeia desde 2010. Dessa vez, no Brasil, foi uma oportunidade para reafirmarmos o equilíbrio e a competência em também promover o evento.”, afirma o coordenador de projetos da RNP, Wanderson Paim.

No total, serão aplicados R$ 30 milhões advindos das obrigações da Lei de Informática, que concede incentivos fiscais para empresas do setor de tecnologia que tenham por prática investir em pesquisa e desenvolvimento (P&D). "Esses incentivos referem-se à redução do IPI [Imposto sobre Produtos Industrializados] em produtos habilitados", explica o secretário de Política de Informática, Maximiliano Martinhão (foto 1).

De acordo com Martinhão, o governo federal utiliza esse mecanismo para viabilizar investimentos em inovação também no setor de hardware e automação por parte da indústria nacional.

Na abertura do encontro, o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação Digital da Secretaria de Política de Informática, José Gontijo, destacou que a cooperação bilateral promove a qualificação de recursos humanos, a inovação tecnológica e a entrega de produtos que contribuem para a difusão do conhecimento e para o bem-estar da população. "As chamadas permitem um intercâmbio gigantesco entre os sistemas de ciência e tecnologia europeu e brasileiro, além do trabalho conjunto que é realizado entre as instituições de pesquisa das duas partes", destacou.

Para o representante da Delegação da Comissão Europeia no Brasil, Carlos Oliveira (foto 2), o trabalho conjunto traz um resultado tangível e prepara o Brasil e a Europa para os desafios deste século. "O objetivo é oferecer às pessoas e aos países uma economia mais competitiva e melhores condições de vida, de emprego e prosperidade para todos os envolvidos nos dois lados do Atlântico", afirmou Oliveira. Ele também ressaltou que a nova chamada conjunta ocorre no ano em que são celebrados os dez anos da parceria estratégica entre a União Europeia e o Brasil.

As chamadas coordenadas em TIC fazem parte do Acordo Brasil-União Europeia de Cooperação Científica e Tecnológica, firmado em 2004. Até agora, foram lançadas quatro chamadas (2010, 2012, 2015 e 2017), que receberam 192 propostas de trabalho. Desse total, foram selecionados 20 projetos conjuntos de pesquisa e desenvolvimento. Entre as várias linhas temáticas estão microeletrônica, microssistemas, internet do futuro, biossensores para detecção de doenças tropicais, segurança de rede, banda larga, internet das coisas, computação em nuvem e aplicações e serviços para sociedades inteligentes. Os projetos contaram com cerca de R$ 150 milhões de investimentos das duas partes envolvidas.

Crédito imagens: Herivelto Batista/Ascom-MCTIC

Fonte: MCTIC