Conhecimento em TIC gera soluções de valor e entregas estratégicas em biodiversidade e segurança

- 21/01/2020

Nossa ciberinfraestrutura nos permite conectar pessoas e instituições em um ambiente propício a produção de conhecimento. Um dos grandes destaques tem sido as ações voltadas para biodiversidade, mostrando a preocupação do Brasil em um esforço global em prol do tema. Outra preocupação está na segurança, que colocamos sempre em primeiro lugar. Com mais de 20 anos de experiência em Segurança da Informação, apoiamos nossos clientes na detecção, resolução e prevenção de incidentes que trafegam pela rede acadêmica e seus usuários.

Nesta matéria, parte de uma série que destaca os benefícios apontados por nossos clientes, confira projetos aplicados de TIC, Pesquisa e Segurança que oferecemos ao longo de 2019.

Infraestrutura nacional de dados e conteúdos em biodiversidade

Promover a integração e acesso aberto a um amplo conjunto de dados das espécies brasileiras. Esse tem sido o apoio da RNP ao Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (SiBBr), infraestrutura nacional que subsidia a pesquisa e a produção científica, bem como apoia tomadores de decisões na implementação de políticas públicas associadas à conservação ambiental e ao uso sustentável dos recursos naturais.

O SiBBr disponibiliza mais de 15 milhões de registros de ocorrência das espécies brasileiras, incluindo coleções biológicas, espécies ameaçadas e tabelas nutricionais. Na plataforma, é possível encontrar também ferramentas e serviços que permitem a estruturação, publicação e validação de dados em biodiversidade. Por meio do SiBBr, o Brasil integra o maior esforço global para conhecer a biodiversidade do planeta e disponibilizar gratuitamente as informações existentes na Plataforma Global de Informações sobre Biodiversidade (GLIF).

Em 2019, lançamos o Atlas SiBBr, em que entregamos uma nova plataforma customizada para dados de biodiversidade (Plataforma ALA – Atlas of Living Australia) já no ambiente em nuvem gerido pela RNP, que passa a constituir o core do SiBBr. Outros grandes marcos para o projeto ocorreram nesse ano, incluindo a assinatura de um acordo com a ONU para melhorar a capacidade brasileira de conservar e usar a sua biodiversidade, por meio do gerenciamento e uso da informação; a participação na Conferência BIO Latin America 2019, que reuniu formuladores de políticas, empreendedores, acadêmicos e investidores de todo o mundo para debater tendências e desafios na área de biotecnologia; além da realização de um encontro técnico de profissionais da biodiversidade como parte da agenda do Acordo Trilateral, firmado entre Brasil, Equador e Alemanha, que prevê o compartilhamento de conhecimento e lições aprendidas na implementação da Plataforma ALA no Brasil.

De acordo com o Coordenador-geral de Biomas do MCTIC, Luiz Canto, “a RNP tem tido um papel fundamental ao possibilitar a manutenção e operacionalização do SiBBr, principalmente no que tange à entrada de dados no sistema, novos módulos e correções necessárias”.

Informações ambientais na nuvem

Para elevar a competitividade do país no cenário da bioeconomia mundial, apoiamos mais um projeto com foco em biodiversidade. No ano passado, apoiamos a migração do sistema speciesLink para a infraestrutura em nuvem da RNP. O speciesLink tem por objetivo integrar a informação primária sobre biodiversidade que está disponível em museus, herbários e coleções microbiológicas, tornando-a disponível, de forma livre e aberta na Internet.

“A migração da rede speciesLink para um ambiente em nuvem permite que o sistema esteja hospedado em ambiente mais estável e com alta disponibilidade. Esse tipo de ação contribuirá para que o Brasil dê um salto qualitativo e competitivo na agregação de valor aos recursos naturais e serviços ambientais, e na obtenção de produtos e processos inovadores, contribuindo para o desenvolvimento sustentável do País”, destacou o gerente de Soluções da RNP responsável por este projeto, Christian Miziara.

Impactos das mudanças climáticas no Brasil

Mudanças climáticas é um dos trending topics. E, ao longo de 2019, a RNP, o Inpe e o MCTIC estão desenvolvendo um sistema de análise de informações sobre os impactos das mudanças climáticas, o ImpactaClima. O objetivo é entregar aos tomadores de decisão informações vinculadas aos impactos das mudanças climáticas para servir de subsídio para formulação de políticas públicas para as áreas ambiental, econômica e social, e planejamento de atividades produtivas.

Em junho, o Inpe e a RNP organizaram uma oficina de Consolidação de Indicadores Sismoi-Semiárido, em Campina Grande (PB). O encontro abordou o tema ‘Indicadores para as Seguranças Hídrica, Alimentar e Energética e Impactos de Mudanças Climáticas no Semiárido’. “A plataforma poderá nos ajudar a melhor compreender os riscos e assim planejar ações de adaptação, desde já, para reduzir a exposição e a vulnerabilidade associadas às mudanças climáticas no Semiárido Nordestino, num primeiro momento, e depois na Amazônia, nos Pampas, enfim, no país inteiro”, declarou o analista de C&T do MCTIC, Rodrigo Braga. O lançamento da plataforma está previsto para o início de 2020.

Boas práticas de Segurança da Informação

Aprimorar os processos e a infraestrutura tecnológica voltada à segurança da informação. Esse foi o objetivo da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) ao firmar uma parceria com a RNP. O projeto prevê a implementação de boas práticas em Segurança da Informação que sirvam como base para o estabelecimento de um Sistema de Gestão de Segurança da Informação (SGSI) para Embrapii.

Em 2019, desenvolvemos para a empresa uma Política de Segurança da Informação consistente e suas normas complementares, que orientarão a implementação do seu SGSI. Também entregamos três Relatórios de Recomendação voltados para a segurança da informação. Um deles foi sobre Solução de Firewall, a fim de aprimorar o nível de proteção externa e interna de seus ativos. Outro ressaltou Melhorias de Segurança Física no Centro de Processamento de Dados (CPD), em que foi realizado um diagnóstico e estudos para aprimorar os controles de segurança física do datacenter da instituição. Além disso, teve o de Melhorias na Topologia de Rede, em que sugerimos implementar a segmentação entre as redes e a redundância entre os equipamentos. Adicionalmente, apoiamos a Embrapii na elaboração de um Termo de Referência para aquirir um Sistema de Gestão Interna alinhado a sua Política de Segurança da Informação. São ações fundamentais para preservar a integridade, confidencialidade e disponibilidade de dados dos projetos de pesquisa e inovação apoiados pela Embrapii.

“Somos uma organização jovem e pequena que atua em parceria com outras instituições para projetos de inovação. Precisávamos de uma infraestrutura de TI mais robusta e com mais segurança. Lidamos com muitos dados sensíveis. Por isso, buscamos a RNP, por ser uma instituição parceira e pela competência na área de segurança da informação. Definimos sete metas e já recebemos seis. Isso só foi possível com a colaboração e entendimento do Christian Miziara. Ele entendeu nossas necessidades e nosso negócio e, assim, a RNP atingiu exatamente o nosso objetivo e com uma entrega em nível de capacidade técnica acima do que esperávamos”, enalteceu o Luiz Horta Barbosa, da Diretoria de Operações da empresa.

Soluções inovadoras para rádio e TV

A parceria entre a RNP e a EBC, iniciada em 2008, tinha o desafio de desenvolver soluções inovadoras para a transferência de arquivos digitais entre as unidades da EBC e parceiros institucionais em diversos estados. A solução foi criar o Sistema de Intercâmbio de Conteúdos Digitais para TVs e Rádios Públicas (ITVRP), que usa o backbone da RNP para o tráfego de dados. O sistema tem papel fundamental na EBC, permitindo o gerenciamento de ativos digitais, o intercâmbio de arquivos de áudio e vídeo entre as diversas unidades, além do recebimento e distribuição conteúdo de rádio e televisão entre parceiros externos.

Para melhorar a performance do sistema, ao longo de 2019, desenvolvemos uma de nova versão do ITVRP, que incorporou o que há de mais moderno em tecnologias de comunicação de dados, sistemas distribuídos, segurança da informação e interfaces gráficas. Agora o sistema está mais rápido, robusto e estável, melhorando sua usabilidade e reduzindo seu custo operacional de suporte e manutenção. Além disso, será possível ampliar suas funcionalidades. O sistema ITVRP beneficia outros clientes da RNP, neste caso usamos o nome Intercâmbio de Conteúdos Digitais (ICD), como a Rede Universitária de Telemedicina (Rute). A Rute usa o sistema para repositório e compartilhamento de conteúdo digital, como vídeos, áudios e textos, com facilidade de acesso e distribuição.

Ainda em 2019, quatro unidades da EBC – Rio, Brasília, São Paulo e São Luís – foram conectadas à rede de comunicação e colaboração da RNP, para proporcionar o uso do sistema em uma infraestrutura de alta capacidade.

© 2019 - RNP Todos os direitos reservados.   |  Conheça nossa Política de Privacidade