Conferência Web: do edital de P&D a serviço de sucesso

As chamadas de vídeo com várias pessoas, via internet, utilizando computadores e smartphones estão tão presentes no dia a dia do nosso "novo normal" que parecem ser fruto de uma tecnologia simples, que existe desde sempre. Mas não é bem assim que a banda toca. Para dar início à nossa série de matérias sobre os serviços oferecidos pela RNP que tiveram origem no Programa de P&D, vamos falar do Conferência Web, que, durante a pandemia do novo coronavírus, se tornou essencial para instituições de ensino e pesquisa e cujo uso segue crescendo exponencialmente.

Senta que lá vem história...

Era uma vez o ano de 2010. Como fazia anualmente desde 2002, a RNP lançou um edital para fomentar Grupos de Trabalho visando o desenvolvimento de projetos colaborativos que demonstrassem a viabilidade no uso de novos protocolos, serviços e aplicações de rede e que possibilitassem à organização ampliar a oferta de serviços através da parceria com a comunidade de pesquisa.

Eis que surge uma proposta da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), coordenado pelo professor Valter Roesler, com o objetivo de desenvolver um sistema completo de webconferência com capacidade de interoperar transparentemente entre computadores conectados na web e dispositivos móveis ligados nas redes de telefonia. A ideia era surfar a onda da expansão da banda larga no Brasil, tanto para o acesso fixo quanto, principalmente, para o acesso móvel, através do uso das tecnologias 3G (vejam vocês).

O projeto foi selecionado, pois se encaixava perfeitamente com o momento vivido no país, no contexto da expansão da rede. E o grupo ganhou o nome de GT Sistema de Multiconferência para Acesso Interoperável Web e Móveis ou apenas GT-Mconf para os íntimos.

“Precisamos fazer várias escolhas tecnológicas ao longo do tempo. Uma das principais foi a escolha de cooperação em uma plataforma de código aberto que também estava nos seus primórdios no início do projeto, em 2010. Essa plataforma é o BBB (BigBlueButton). A parceria no desenvolvimento do código Mconf/BBB foi muito acertada. Outros grandes desafios foram por conta da tecnologia em si. Os dispositivos móveis vivem mudando de versão.  Então, o desafio migrou de ‘desenvolver diferentes aplicações para diferentes dispositivos’ para ‘desenvolver uma única aplicação em diferentes tamanhos de tela, com layouts fluídos’. Já no campo empresarial os desafios foram dos empresários que fundaram a Mconf Tecnologia Ltda, spin-off do laboratório do PRAV (Projetos em Áudio e Vídeo), da UFRGS. O Felipe Cecagno e o Leonardo Daronco tiveram que ‘mudar a mentalidade’, de um protótipo funcional para um produto de mercado, e esse é um grande passo, visto que envolvem problemas de lucro, sustentabilidade, contratação de equipe, marketing, etc”, conta Valter, coordenador do GT-Mconf.

O tempo foi passando, a proposta deixou de ser teoria e o projeto evoluiu. Em 2013, a aplicação do GT-Mconf foi incorporado à RNP como serviço experimental e, no ano seguinte evoluiu para piloto, passando depois para produção interna na organização. Em 2016, ele passou a ser o serviço oficial de webconferência da RNP, substituindo o anterior que era provido pela Adobe Connect.

Evolução do Conferência Web GT-MConf

O serviço manteve-se em constante evolução, o que foi fundamental para que ele chegasse ao fatídico ano de 2020 preparado para o maior desafio desde a sua criação.

“Nenhum (desafio) se compara ao enfrentado no início da pandemia com a necessidade de escalar a solução para um grande número de usuários simultâneos. De uma semana para a outra, o número de usuários do serviço cresceu mais de dez vezes, e, para atender a essa demanda, foi necessário não só de um esforço extraordinário de toda a equipe, mas também de confiança que o desafio seria superado - e os números do serviço comprovam o sucesso deste trabalho”, ressalta um dos sócios da Mconf Tecnologia Ltda., Felipe Cecagno.

Para entender melhor o tamanho do desafio que chegou juntamente com a pandemia do novo Coronavírus, confira os números abaixo:

Números mostram crescimento vertiginoso do uso do Conferência Web entre abril e maio.

 

Uma das respostas para atender o crescimento vertiginoso da demanda pelo serviço foi a disponibilidade da funcionalidade de streaming, que amplia a participação nas reuniões virtuais para dois mil participantes, além do limite de até 75 pessoas por sala virtual.

Conheça essa e outras novas funcionalidades assistindo ao vídeo abaixo:

O Conferência Web não se intimidou e conseguiu controlar a situação. E, como em tudo na vida, quanto maior o obstáculo, maior o sentimento de gratificação com a superação do mesmo.

“Acredito que um dos objetivos de cada ser humano é tentar ‘deixar um legado’, seja na forma de filhos de sucesso, da educação para alunos, de orientações, etc. Me traz um orgulho muito grande o fato de eu ter participado da criação de um produto tão importante hoje, usado por mais de meio milhão de pessoas no Brasil e no mundo, e que dá suporte para vários usos relacionados à educação, saúde, encontro de profissionais das mais variadas áreas, enfim, videocolaboração em geral. Agora, quando alguém pergunta uma questão típica da vida de pesquisador, que é ‘quais os trabalhos mais importantes da sua vida profissional?’, eu tenho uma resposta fácil”, exalta o professor Valter Roesler, endossado por Felipe Cecagno, que foi seu aluno na UFGRS.

“É muito gratificante saber que desenvolvemos um produto que pode auxiliar tantas instituições a continuarem com suas atividades apesar das dificuldades geradas pela pandemia. Uma situação dessa gravidade afeta toda a sociedade de muitas maneiras e gera vários tipos de prejuízos, inclusive econômicos. Uma ferramenta que possibilita a comunicação e a colaboração entre as pessoas, enquanto existe a necessidade do distanciamento físico, ajuda consideravelmente a minimizar esses impactos negativos. Ter isso em mente nos motiva a trabalhar e melhorar cada vez mais”.

Do ponto de vista da RNP, o sucesso do Conferência Web é uma combinação de competências para além do Programa de P&D em si. São as excelentes pesquisas aplicadas em parceria com todo o espectro da força de construção da academia, a inovação aberta da RNP estruturada e que vem sendo aprimorada, cada membro de grupo de trabalho (GT) e startup parceira, os novos produtos ou melhorias de produtos existentes viabilizados e todo o time da organização envolvido no processo de desenvolvimento tecnológico. 

“O Conferência Web é essencial e cada vez mais estratégico para todo o Sistema RNP e ele é importante porque são os usuários que o tornam importante. E sem dúvida, é a garra de todos envolvidos na entrega deste serviço e que têm superado a cada dia os desafios deste crescimento exponencial que ratificam esta importância. Me lembrei de um almoço no ‘bandeijão’ da UFRGS, sentado à mesa com o prof. Valter Roesler, coordenador na época do GT-Mconf, conversando sobre a oportunidade dos alunos criarem uma startup lá em 2012. Na mesa na época, almoçavam também Felipe Cecagno e Leonardo Daronco alunos de Valter, membros do Laboratório PRAV e do GT-Mconf e que se tornaram os sócios fundadores da Mconf Tecnologia! Celebro a conquista de cada um e de todos nós até aqui. Fico feliz por ter ajudado a escrever esta história! Vamos em frente!”, celebra o gerente de P&D da RNP, André Marins.

Ao infinito e além
Levando em conta a trajetória de dez anos desde a proposta apresentada ao edital de P&D, chegando aos dias atuais, com o serviço se tornando essencial durante a pandemia e que conta com meio milhão de usuários, onde será que o Conferência Web pode chegar?

Com a palavra dois dos “criadores”:

Valter Roesler: “Eu gostaria de ver o Mconf, no futuro, sendo internacionalizado massivamente. Talvez a RNP tenha como ajudar nesse sentido. Faltam ainda alguns desafios tecnológicos para atingir esse patamar, mas certamente estamos com um produto de nível internacional nas mãos”.

Felipe Cecagno: “Existem inúmeras oportunidades para melhorias e inovações no serviço, tanto em termos de novas funcionalidades para colaboração na sala virtual, quanto em melhorias nas funcionalidades existentes e recursos de gerenciamento - com destaque para mobilidade e integração entre os diferentes serviços da RNP. O momento em que estamos vivendo nos mostrou o grande potencial de uso da videocolaboração nas instituições de ensino e pesquisa do país, e nós acreditamos em um aumento progressivo e contínuo na procura pelo serviço na medida em que uma maior divulgação é realizada na comunidade, e o ConferênciaWeb continue entregando um serviço de alta qualidade”.

Sua instituição já aderiu o serviço Conferência Web, mas você ainda não sabe usar? Aprenda com o tutorial produzido pela Universidade Federal Fluminense (UFF).

Curiosidades

Primeira versão do Mconf em 2011 e a primeira equipe do GT na UFGRS:

Primeira versão do Mconf em 2011 e primeira equipe do GT


Da esquerda para a direita: Arthur Rauter, Felipe Cecagno, Fernando Bottin, Giancarlo Rampanelli, Leonardo Daronco, Valter Roesler e Alessandra Leonhardt.

Professor Valter Roesler faz apresentação sobre a aplicação no WRNP em 2012:

Professor Valter Roesler faz apresentação sobre a aplicação no WRNP em 2012

 

Equipe na inauguração da nova sede da Mconf Tecnologia, em 2019:

Equipe na inauguração da nova sede da Mconf Tecnologia em 2019

 

Universidade chinesa utiliza mesma plataforma do Conferência Web para aulas durante a pandemia

Plataforma do Conferência Web em universidade da China


 

© 2019 - RNP Todos os direitos reservados.   |  Conheça nossa Política de Privacidade