Chuvas em Recife deixam instituições sem acesso à internet por até 34 horas

- 04/08/2022

O primeiro semestre do ano no Nordeste é conhecido pelo período de chuvas. Em Pernambuco, as fortes chuvas que atingiram a região metropolitana de Recife em maio deste ano foram uma das maiores tragédias já registradas no estado, deixando mais de 100 mortos.

Além de todo o prejuízo à população, os alagamentos em ruas e avenidas e os deslizamentos de barreiras atingiram também as redes de fibra óptica que atendem as cidades, incluindo a rede metropolitana de Recife (ÍCONE), e a rede estadual de Pernambuco (RePEPE). Trechos dessas redes tiveram rompimentos que deixaram algumas instituições de ensino e pesquisa, hospitais e órgãos públicos sem acesso à internet por até 34 horas.

Segundo a coordenadora do Ponto de Presença da RNP em Pernambuco, Zuleika Tenório, como algumas áreas ficaram muito alagadas, era difícil fazer com que as operadoras e provedores chegassem aos locais onde a rede estava danificada para fazer os reparos. “Várias instituições atendidas tiveram impacto. Além da paralisação das atividades, alguns hospitais de referência de Recife chegaram a ficar sem acesso à internet por até 34 horas”, conta Zuleika.

Para se ter uma ideia, de mais de 40 pontos conectados pela rede metropolitana de Recife, 19 instituições ficaram sem serviços de conectividade, entre elas hospitais de referência, como o Hospital Getúlio Vargas, que abriga a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, e o Hospital da Restauração.

Como alguns desses hospitais fazem parte da Rede Universitária de Telemedicina (Rute), a rede de colaboração em Telesaúde e Telemedicina da RNP, a falta de conexão chegou a prejudicar o andamento de alguns Grupos de Interesse Especial (SIGs), onde profissionais da saúde se reúnem para discutir casos clínicos em diversas especialidades médicas.

As chuvas atingiram outras cidades do Grande Recife, como Jaboatão dos Guararapes. Segundo a coordenadora do PoP-PE, Zuleika Tenório, outras cidades pernambucanas só não tiveram a conexão interrompida por conta de redundâncias na rede estadual de Pernambuco (RePEPE), que conecta 20 municípios no estado.

Ainda segundo Zuleika, em casos de interrupção de serviços de conectividade, a RNP atua nas primeiras quatro horas, abrindo chamados para os provedores e operadoras parceiros, responsáveis pela manutenção das redes, além de toda a assistência necessária à operação local. 

O alerta continua no Grande Recife, Zona da Mata e Agreste, uma vez que em agosto voltou a chover acima do normal na região, segundo a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac). Outras cidades do Nordeste como, por exemplo, Maceió, também registraram aumento de chuvas. 

Se sua instituição está passando por indisponibilidade de conexão, procure nossos canais de atendimento, pelo e-mail atendimento@rnp.br ou telefone 0800 722 0216.
 

;