Brasil passa a presidência pro tempore da agenda de saúde da CPLP para Cabo Verde

- 19/10/2018

No dia 15/10, o Brasil passou para Cabo Verde a presidência pro tempore da agenda de saúde da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). O ato simbólico foi realizado durante a abertura da I Reunião de Bancos de Leite Humano da CPLP, na Cidade da Praia, no país africano.

Participaram da cerimônia a coordenadora-geral da Cooperação Técnica com a CPLP, Alessandra Ambrósio, o representante da Assessoria de Assuntos Internacionais da Saúde do Ministério da Saúde do Brasil Luciano Queiroz, o Coordenador do Banco de Leite Humano do Instituto Fernandes Figueira Fiocruz e do SIG BLH Rute, João Aprígio Almeida, o Ministro de Saúde e Segurança Social de Cabo Verde, Arlindo Rosário, o diretor Nacional de Saúde de Cabo Verde, Artur Correia e a Diretora da Telessaúde no Ministério da Saúde e Segurança Social de Cabo Verde, Vanda Azevedo.

Em seu discurso, o ministro cabo-verdiano mostrou entusiasmo e afirmou que o país, com determinação e responsabilidade, vai procurar honrar e cumprir com os compromissos assumidos pelos Ministros da Saúde no Plano Estratégico de Cooperação na área da saúde, aprovado em outubro de 2017.

“Há sem dúvida um mundo de oportunidades à nossa espera. Estamos convictos que a telemedicina contribuirá, particularmente, para unir nossos países, permitindo uma melhor capacitação dos nossos profissionais da saúde e será também um importante instrumento para melhoria na prestação dos cuidados de saúde e nos cuidados especializados”, disse Rosário.

O diretor Nacional de Saúde de Cabo Verde, Artur Correia, se comprometeu em reforçar a cooperação técnica já existente entre os membros da CPLP.

“Vamos aproveitar as tecnologias de informação e comunicação para unir os nossos países e reforçar a cooperação técnica que tem existido, vamos trabalhar na continuidade das redes temáticas e técnicas que já existem, mas também vamos introduzir novos desafios com vista a esse grande objetivo que é eliminar barreiras rumo ao acesso universal à saúde, mesmo que seja a distância, utilizando as novas tecnologias", explicou Correia.

Para o coordenador Nacional da Rute Rede Universitária de Telemedicina e membro do Grupo de Trabalho Permanente de Telemedicina e Telessaúde da CPLP, Luiz Ary Messina, Cabo Verde assumir a presidência pró-tempore da CPLP é de extrema importância para fortalecer a relação e colaboração entre os países membros.

“A prática da Telemedicina e da Saúde Digital como vem sendo exercida em Cabo Verde, Portugal e Brasil, como serviço de teleassistência, telediagnóstico e também capacitação remota, envolvendo especialistas nas áreas, demonstra de forma eficiente o que pode e deve ser feito, parafraseando Artur Correia, para facilitar o acesso universal à saúde. A integração de especialistas em discussões de casos importantes como vem ocorrendo na Rute através dos SIGs (Special Interest Groups) há 10 anos em cerca de 50 especialidades é também uma grande oportunidade de expansão das pesquisas e capacitação para residentes, alunos e profissionais em geral. A integração da RETS Rede Internacional de Educação de Técnicos em Saúde dos países da CPLP também é outra alternativa valiosa. O lançamento do Programa Nacional de Telessaúde de Moçambique em 18/6/2018, sob a coordenação de Bernardina Gonçalves, que também estará em novembro deste na IV Reunião  da RETS no Rio de Janeiro, representa um marco na integração das ações do Grupo de Trabalho Permanente de Telemedicina e Telessaúde da CPLP", afirmou Messina.

© 2019 - RNP Todos os direitos reservados.   |  Conheça nossa Política de Privacidade