Brasil e Comissão Europeia debatem sobre ciência e tecnologia com foco em inovação

- 23/11/2016

Representantes brasileiros e europeus se reuniram, nos dias 10 e 11/11, para o IX Diálogo BR-UE em Sociedade da Informação, realizado em Bruxelas (Bélgica). O evento, organizado anualmente de forma intercalada no Brasil e na Europa, é parte de uma parceria estratégica bilateral em ciência e tecnologia.

Entre os temas de interesse da parceria estão a construção de um cabo submarino, para conectar Brasil e Europa, regulamentação em TIC, políticas de governo em computação em nuvem, estratégias digitais e as chamadas coordenadas em pesquisa e desenvolvimento. Participaram dos debates representantes dos governos, da sociedade civil e do setor privado.

Fizeram parte da delegação brasileira do IX Diálogo BR-UE em Sociedade da Informação representantes da Secretaria de Políticas de Informática (Sepin) do Ministério da Ciência, Tecnologia Inovações e Comunicações (MCTIC), os diretores José Gontijo e Otávio Caixeta; os diretores da RNP, Lisandro Granville e Michael Stanton; o coordenador de projetos da RNP, Wanderson Paim; o empreendedor Felipe Matos, da start-up Farm; a diretora do centro de pesquisa da Dell EMC no Rio de Janeiro, Karin Breitman; além de professores coordenadores dos projetos selecionados na 3ª Chamada Coordenada.

“Enquanto instituição que opera a 3ª e 4ª Chamada Coordenada, a RNP/CTIC tem buscado a excelência na gestão dos projetos e no suporte às atividades de cooperação. Durante o diálogo, tivemos a oportunidade de capturar as percepções dos próprios projetos, da Comissão Europeia e governo brasileiro sobre nossa atuação e sobre os resultados esperados. Além disso, também é uma oportunidade para testemunharmos os esforços na elaboração conjunta de futuras ações de cooperação”, destacou Wanderson Paim.

Para Otávio Caixeta, do MCTIC, o diálogo é uma oportunidade ímpar para a cooperação entre o Brasil e a União Europeia. "Lá, temos a oportunidade de trocar experiências em políticas públicas e regulação, além de planejar os próximos passos na colaboração em P&D. Nesse último ponto, é importante destacar que a grande presença de acadêmicos em nossas delegações foi fundamental para que as discussões sobre o tema fossem guiadas pelos especialistas da área", ressaltou.

Principais discussões do Diálogo BR-UE

O primeiro dia foi dedicado às discussões técnico-científicas. A sessão sobre regulamentação, por exemplo, reuniu especialistas da Comissão Europeia e da Anatel, que estavam em Brasília e participaram por videoconferência, viabilizada pela RNP. Eles falaram sobre a formatação de políticas de regulamentação, planos de competitividade, Marco Civil da Internet e a análise sobre o espectro – faixas de frequência de ondas de rádio, fundamental para o avanço de novas tecnologias, como o 5G.

No painel sobre Computação em Nuvem, o foco foi em soluções open-source, fog computing (descentralização da computação) e aspectos de segurança. Foi discutido sobre a crescente demanda aos serviços de nuvem por sistemas cyber-físicos, o que aumenta a demanda por disponibilidade, segurança e adaptabilidade. Também foi considerada a importância em tratar da interoperabilidade da Computação em Nuvem com outras áreas, como IoT, BigData e processamento de alto desempenho.

Ainda no primeiro dia, foi realizado um workshop sobre as chamadas coordenadas, que contou com a participação dos projetos aprovados nas edições em andamento (2ª e 3ª). Eles puderam compartilhar as lições aprendidas e resultados alcançados. Em seguida, o gerente de projetos da Comissão Europeia, Jorge Pereira, apresentou as linhas gerais da 4ª chamada, que já está aberta do lado europeu. A segunda parte do workshop teve o objetivo de captar os interesses da comunidade de pesquisa e demais interessados para a formulação da 5ª chamada, que deve ser lançada em 2018, com início dos projetos previsto para 2020.

Segundo a pesquisadora Karin Breitman, da DELL, com o avanço das tecnologias, temas como HPC, BigData, IoT e Cloud se apresentam cada vez mais interligados. “Isso aponta que, no futuro, os tópicos de estudos não devem ser mais tão específicos e restritivos. Há, desde já, uma necessidade de pesquisa e desenvolvimento que explore justamente as convergências entre esses tópicos”, destacou.

No segundo dia do Diálogo BR-UE, os resultados de cada painel do dia anterior são apresentados para que os dois lados tenham a chance de comentar sobre os resultados e sugerir ações de cooperação para aprofundar o estudo de temas. Isso acontece em uma sessão com participação restrita para membros do governo brasileiro, Comissão Europeia e convidados.

Nesse encontro, o diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da RNP, Michael Stanton, e Alfonso Gajate, da EllaLink, expuseram o status da contratação e implantação do cabo submarino que vai conectar Brasil e Europa. O cabo está em fase de contratação, mas deve ter o início de sua implantação já no primeiro semestre de 2017.

;