Actions Security é selecionada para incubação no Parque Tecnológico da Paraíba

A startup Actions Security foi selecionada para um processo de incubação no Parque Tecnológico da Paraíba (PaqTc-PB). A empresa fornece soluções na área de segurança da informação, no desenvolvimento de ferramentas inovadoras para mitigar em tempo real alguns tipos de ataque, como a negação de distribuição do serviço, mais conhecidos como DDoS. A Actions Security surgiu a partir de um Grupo de Trabalho desenvolvido dentro da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), o GT-Actions, comandado por pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Para o coordenador do GT-Actions, Iguatemi Fonseca, participar do programa de incubação do PaqTc-PB será fundamental para o desenvolvimento do projeto e para a ampliação da rede de contatos. ”Conseguir aprovação nesta seleção foi gratificante e motivador para a equipe. A expectativa da parceria com o PaqTc são as melhores possíveis, pois a instituição já existe há 30 anos e, portanto, tem uma boa rede de contatos que podem se tornar nossos futuros parceiros”, comenta.

O coordenador também acredita que a parceria com a RNP foi crucial para a criação da Actions Security. “Tudo começou com a participação no Programa de Grupos de Trabalho da RNP. Hoje temos na UFPB um grupo de jovens alunos de graduação e pós-graduação altamente qualificados no desenvolvimento de soluções para ataques DDoS”.  O trabalho da RNP será fundamental para a consolidação da startup, já que está prevista a utilização e implantação de soluções desenvolvidas pela Actions Security, a ferramenta SeVen, em servidores web da RNP e de seus parceiros.

Além da incubação no PaqTec-PB, a startup também foi selecionada para participar do ciclo de aceleração do InovAtiva Brasil, uma parceria entre o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), o Sebrae Nacional e a Fundação CERTI. A Actions Security foi uma das selecionadas em meio a 926 inscritas no programa.

Durante dois meses, eles vão passar por cursos e mentorias individuais com empreendedores renomados nas áreas de gestão, finanças e acesso a mercado. Após essa etapa, a startup concorrerá a uma das 125 vagas para a etapa final, quando terão a oportunidade de se conectar a investidores e programas de internacionalização, entre outras vantagens.

Para Fonseca, ser selecionado pelo programa é sinal de que a startup está no caminho certo. “Novamente ficamos surpresos com o resultado. Com a participação no InovAtiva Brasil, a equipe terá acesso a treinamentos e mentorias, o que será importante para preparar a startup para fazer bons negócios. Certamente a aceleração trará muitos resultados”, finaliza.

Foto: Iguatemi Fonseca, da UFPB, durante o 17º WRNP, realizado em 2016 em Salvador.