4ª Chamada Coordenada Brasil-União Europeia recebe 50 propostas de projetos

O número de projetos recebidos na 4ª Chamada Coordenada BR-EU foi 28% maior que o da edição anterior. A comissão organizadora contabilizou 50 propostas, sendo 33 em Internet das Coisas, 13 em Computação em Nuvem e quatro em Redes 5G. Em 2016, na 3ª Chamada Coordenada entre o Brasil e a Europa, foram enviadas 39 propostas.

Segundo o coordenador de projetos do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologias Digitais para Informação e Comunicação (CTIC) da RNP, Wanderson Paim, o número superou as expectativas. "Geralmente, os consórcios são compostos por uma média de cinco instituições brasileiras e outras cinco europeias, que devem se coordenar para escrever uma proposta com cerca de cem páginas, incluindo um breve resumo dos pesquisadores proponentes. Os desafios iniciam desde a formação do consórcio, que depende dos interesses, escolha dos temas e foco das propostas, até a escrita e formatação adequadas. É um trabalho conjunto que exige grande esforço dos coordenadores”, explicou. Ao todo, os projetos enviados para esta chamada incluem a participação de 213* instituições europeias e 202* brasileiras.

O próximo passo será submeter cada proposta para a avaliação de quatro revisores especialistas nos temas da chamada, sendo dois brasileiros e dois europeus. Dessa forma, serão necessários 26 revisores. O julgamento será com base em três critérios: Excelência, Impacto e qualidade e Eficiência da implementação. Após a avaliação individual de cada especialista, eles se reunirão em Brasília para uma sequência de reuniões de consenso, nas quais as diferentes notas serão unificadas para cada proposta, formando um ranking final. “A previsão é de que os resultados sejam publicados no final de junho ou início de julho”, reforçou Wanderson.

Uma vez conhecidas as propostas aprovadas, serão realizadas as contratações de cada instituição envolvida. Nesse momento, será exigido das instituições brasileiras, que pretendem receber recursos da chamada, o credenciamento no Comitê da Área de Tecnologia da Informação (Cati), do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O início da execução dos projetos está previsto para janeiro de 2018, quando também termina o prazo para finalizar as contratações.

“A coordenação conjunta dos projetos com a Comissão Europeia tem agregado experiência na gestão das chamadas coordenadas. Como consequência, já estamos viabilizando o desenvolvimento de um novo sistema, para dar suporte aos principais processos executados na gestão das chamadas e projetos selecionados”, explicou o coordenador, acrescentando que a 5ª chamada já está em discussão para definir os temas e recursos a serem disponibilizados.

*Esses números não descontam as reincidências, pois existem pesquisadores e instituições que aparecem em mais de um projeto.