Eratóstenes Edson Ramalho de Araújo

Depoimento de Eratóstenes Edson Ramalho de Araújo

Eratóstenes em sua mesa de trabalho no CNPq em 1993“Há coisas no Brasil que foram planejadas, executadas e alcançaram plenamente os objetivos inicialmente previstos, como é o caso da RNP.

No CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), essa história começou em 1987, com a participação do Conselho no Congresso Anual da Sociedade Brasileira de Computação, em julho de 1987, em Salvador, onde se discutiu a viabilidade de uma rede eletrônica para apoio a pesquisa, aprofundada em reunião na USP com a participação da Embratel, que detinha o monopólio de conexões com o exterior. Um ponto a ser vencido seria o compartilhamento de uma conexão ao exterior pelas universidades brasileiras, já que a Embratel defendia que cada universidade tivesse a sua própria conexão, alternativa essa impossível de ser implantada tanto por falta de infraestrutura como por seu alto custo financeiro.

Como desdobramento desses eventos, o CNPq patrocinou a ida de quatro pesquisadores brasileiros aos Estados Unidos, para fazerem um benchmarking de redes, a saber Alexandre Grojsgold, Demi Getschko, Michael Stanton e Paulo Aguiar. Dessa viagem resultou a decisão de conexão do Brasil à Bitnet, concretizada em agosto de 1988 entre o LNCC (Laboratório Nacional de Computação Científica, inicialmente vinculado ao CNPq) e a Universidade de Maryland. Em 1989, foi a vez da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) conectar-se ao FermiLab, em Chicago, em março; e a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), à UCLA (Universidade da Califórnia em Los Angeles), em maio.

Em agosto de 1989, o Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT) formaliza um grupo de trabalho para implantar a RNP, composto por pesquisadores, membros de FAPs (Fundações de Amparo à Pesquisa) e da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) e delega ao CNPq a sua coordenação. Em setembro, a RNP é lançada no Congresso da SUCESU (Sociedade de Usuários de Computadores e Equipamentos Subsidiários), em São Paulo. Na sequência, o projeto fica em banho-maria e só é retomado em maio de 1990, com o novo governo. 

De muita importância para o inicio de funcionamento da RNP, foi o fato de que, no mesmo mês de maio, o CNPq criou o projeto Banco de Equipamentos, que visava atualizar os laboratórios de informática existentes nos cursos de pós-graduação das áreas de engenharias e ciências da terra.

No final de 1990, foi realizada, até então, a maior compra de estações de trabalho (sparcstation2) do mundo junto à Sun Microsystems . Os kits com as máquinas importadas chegaram em um jumbo, em fevereiro 1991, no Aeroporto de Guarulhos e, em plena semana de carnaval, as máquinas estavam sendo instaladas pelos pesquisadores em seus respectivos laboratórios, graças ao eficiente trabalho de desembaraço alfandegário realizado pela equipe do CNPq no local, que rapidamente liberou os mais de 500 equipamentos e os endereçou, nominalmente, a pesquisadores distribuídos de Manaus a Porto Alegre. À RNP, foram destinados dez kits e foi com eles que a organização começou a operar seu primeiro backbone, que tinha, exatamente, dez nós.

Com isso, engajamos o Brasil inteiro. A Sun não precisou sequer dar treinamentos ou instalar as máquinas, pois os pesquisadores estavam tão ávidos por elas que fizeram a instalação e as configurações sozinhos.

Mas, para os primeiros anos de atividade da rede acadêmica, foi de extrema importância o programa Desi (1992-1998), Desenvolvimento Estratégico em Informática, financiado pelo CNPq (US$ 27 milhões) e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (US$ 1 milhão), orçamento mantido em dólares, que viabilizou a contratação de pessoal para o projeto RNP em seus primeiros anos. No relatório final, realizado por três auditores, constava o resultado: todos os objetivos não só atingidos, mas superados!

Eratóstenes recebe diploma de construtor

Os desafios foram sendo vencidos e foi uma agradável surpresa para os estrangeiros chegarem ao Brasil para a Rio 92, ou Eco 92, e constatarem que havia internet por aqui. 
Após a implantação de seu primeiro backbone, em 1992, cobrindo 10 estados e o Distrito Federal, a RNP abraçou diversas atividades e serviços que estimularam o seu uso e o reconhecimento de sua importância para o desenvolvimento do País. Posteriormente, novos backbones foram lançados e a organização alcançou todo o Brasil.

A partir de maio de 1995, a internet começou a chegar ao ambiente comercial e à sociedade em geral, tendo a RNP estendido os seus serviços de acesso a todos os setores da sociedade. 

De lá para cá, diversos desafios foram vencidos e outros estão por serem (e serão) vencidos, pois o DNA que sempre conduziu a organização, o de um trabalho de equipes extremamente qualificadas e dedicadas, continua presente".

Eratóstenes Edson Ramalho de Araújo foi superintendente das Engenharias, Ciências Exatas e da Terra no CNPq entre 1987-1991 e também coordenador de Inovação Tecnológica entre 1991-1996, quando gerenciou o Programa Desenvolvimento Estratégico em Informática (Desi) que continha o projeto RNP e também o ProTeM-CC e o SOFTEX2000