Brasil apresenta trabalho sobre conectividade no Oceano Atlântico no WACREN 2021

- 25/03/2021

O cientista de redes da RNP, Michael Stanton, representou o Brasil ao coapresentar um trabalho sobre conectividade no Oceano Atlântico durante a sexta edição da Conferência Anual da WACREN - Rede de Pesquisa e Educação da África Ocidental e Central. Organizado pela rede acadêmica do Benin, na África Ocidental, o evento ocorreu em formato virtual entre os dias 15 a 19/3, e trouxe o tema “Transformação Digital para o Desenvolvimento”.

O artigo apresentado, “Introduzindo novas tecnologias, inovações e colaborações em redes para educação e pesquisa entre África, América Latina, Europa e Estados Unidos através de novos projetos internacionais” foi submetido por autores da RNP, da RedCLARA, das redes nacionais da África do Sul (TENET e SANReN), e da Flórida International University (FIU), localizada em Miami, nos Estados Unidos.

Além de Michael Stanton (RNP), também participaram na apresentação do trabalho Shukri Wiener, diretor-executivo da rede acadêmica da África do Sul (TENET), e Julio Ibarra, coordenador do CIARA (Center for Internet Augmented Research and Assessment), departamento de Tecnologia da Informação da Florida International University (FIU).

Michael Stanton descreveu em sua apresentação as atualizações em conectividade na RedCLARA, a rede regional na América Latina, e no Oceano Atlântico, realizados desde 2018, interconectando, sem passar por continentes intermediários, Brasil e América Latina com redes parceiras na África e Europa, complementando as conexões diretas históricas com a América do Norte.

"O trabalho traz atualizações sobre como está a conectividade entre as redes dos países latino-americanos e a RedCLARA e sua conexão direta com a Europa, construída pelo projeto BELLA (Building Europe Link to Latin America)", declarou Stanton.

Shukri Wiener, o apresentador sul-africano, apresentou a evolução até 100 e 400 Gb/s da rede acadêmica da África do Sul (SANReN). Por fim, Julio Ibarra, dos EUA, descreveu a evolução dos projetos AmLight ExPress, conectando CIARA/FIU com redes da América do Sul e África, e AtlanticWave SDX 2.0, um protótipo de “software-defined exchange point” (SDX), a ser usado para administrar a interconexão de grandes redes de alto desempenho.

;