Confira os destaques das soluções para educação desenvolvidas em 2019

- 13/01/2020

Educação está no coração da RNP, no nosso dia a dia. Além de todas as ações institucionais, também realizamos soluções personalizadas para nossos parceiros, que geram diversos benefícios para o país.

Daremos seguimento à série de matérias sobre os benefícios que nossos clientes vivenciaram ao longo de 2019. Confira os destaques relacionados à Educação.

Plataforma digital do Ciência na Escola

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e o Ministério da Educação (MEC) lançaram no início de 2019 o Ciência na Escola. O programa tem o objetivo de aprimorar a qualidade do ensino de ciências nos cursos fundamental e médio das escolas públicas brasileiras, qualificando professores e ainda estimulando alunos a optarem por carreiras na área científica.

A plataforma que gerencia, monitora e é usada para avaliação dos resultados foi construída pela RNP. O Ciência na Escola conta com quatro iniciativas: a chamada de instituições para o aprimoramento do ensino de ciências na educação básica, que selecionou 19 projetos; o programa a Olimpíada Nacional de Ciências, que teve quase 2 milhões de estudantes inscritos; a chamada de pesquisadores com projetos para levar a ciência para sala de aula, que teve 138 propostas aprovadas e está na fase de seleção; e o Ciência é 10, projeto que vai capacitar professores por meio de um curso à distância, que deve atingir quase 4 mil profissionais.

“As ações que serão realizadas com este programa não estão separadas. Elas agem de maneira sinérgica, com avaliações realizadas regularmente para extrair indicadores que servirão como base para formação de professores e alunos. A RNP tem o papel de criar as condições para o repositório de dados e informações sobre dados dos projetos. Com a experiência e a qualificação da rede, teremos a plataforma ideal para dimensionar a estrutura de um programa feito para ser disseminado em todo o território nacional’’, pontua Maria Zaira Turchi, diretora do Departamento de Infraestrutura de Pesquisa e Políticas de Formação e Educação em Ciência da Secretaria de Políticas para Formação e Ações Estratégicas (SEFAE) do MCTIC.

Em dezembro de 2019, houve em Brasília o seminário “Marco Zero”, que oficializou a iniciativa como um programa do governo. Na ocasião, a RNP apresentou o protótipo da segunda etapa da plataforma, que irá consolidar todas as informações de gestão dos projetos com foco em ensino e aprendizado de ciências em todo o país.

Parceria de longo prazo para a educação e a pesquisa no país - Capes e RNP

Ao longo de 2019, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e a RNP consolidaram as ações que desenvolvem de forma conjunta para beneficiar a educação e a pesquisa no Brasil.

  • Trabalho de criação conjunta para entender e aproximar os usuários

Uma grande aposta é a Iniciativa PPGs, projeto piloto que visa conhecer as necessidades e as demandas tecnológicas dos coordenadores, professores, alunos e pesquisadores dos programas de pós-graduação (PPGs) brasileiros, para, junto com eles, criar, implantar e promover novos serviços e soluções de TIC. O diferencial desse projeto é o uso da abordagem do Design Thinking combinada com metodologias ágeis, que colocam o usuário final no centro do processo e criam soluções de forma colaborativa.

Como resultado da iniciativa, temos o serviço de Encontro Remoto que viabiliza uma melhor experiência na realização de bancas e reuniões a distância. Para deixar o encontro ainda melhor, entregamos para cada um dos 6 PPGs que participam do projeto piloto um kit com equipamentos para uma sala de videocolaboração, para melhorar a sonorização e o vídeo. Os integrantes dos PPGs receberam treinamento para usar a nova funcionalidade de agendamento dos encontros e manipular os equipamentos.

O coordenador do PPG de Geografia da Universidade Federal da Pernambuco (UFPE), Francisco Kennedy Silva já é usuário do serviço. “Considero as bancas como um espaço coletivo de socialização e, com esse serviço, os alunos conseguem participar de onde estiverem. Outro benefício é que, por meio da gravação, o aluno consegue pegar o feedback da banca na íntegra, podendo ajustar sua tese depois com calma. Quero agradecer a RNP por isso e espero que os PPGs de outras instituições possam experimentar esse serviço”, destacou o coordenador.

Além disso, os serviços NasNuvens e Solidariedade foram testados por alunos de graduação e pós-graduação e receberam 150 feedbacks, que estão sendo usados para a evolução dos produtos mínimos viáveis (MVPs).

  • Quem topa um desafio?

Um dos destaques do ano foi o Desafio PPGs que, por meio da inovação aberta, selecionou três soluções visando o desenvolvimento de soluções com o tema “importação de dados associados aos ISBN para a Plataforma Sucupira”, aprimorando a qualidade dos dados nos cursos de pós-graduação no Brasil. O lançamento da ação foi realizado no WRNP 2019 e a divulgação ocorreu por redes sociais e imprensa, além de uma ação realizada na Campus Party Brasília.

O primeiro colocado foi Felipe Gallo, sócio-diretor da startup APPX, e que tomou conhecimento sobre o Desafio PPGs a partir da Campus Party Brasília. “Nosso projeto criou hubs em que fosse possível buscar informações em um único lugar. É possível pesquisar informações de livros na base de dados de diversos players, como o Google Academy, a Amazon e a ISBN. Unificamos essas informações em um sistema. Nós fizemos essa integração para facilitar a busca de títulos, de descrição, do maior número de informações possíveis sobre um determinado livro”, destacou.

  • Integração do processo de produção intelectual

As duas instituições integram, junto a outros parceiros, o Consórcio Nacional em Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação (Conecti Brasil), que visa criar uma plataforma nacional de integração de dados relacionados a educação, ciência, tecnologia e inovação. O objetivo é facilitar a vida do pesquisador, a busca de dados e a prestação de contas, além da gestão integrada das informações da pesquisa.

O Consórcio Conecti Brasil adotou em 2019 o Orcid, que facilita a conexão entre pesquisadores e suas atividades profissionais, publicações, fomento e vínculo de trabalho. Foi realizada a primeira parte da integração do Orcid com as plataformas Sucupira e Lattes, que estão em pleno uso.

  • Sucupira versão 2.0

Para melhorar a experiência do usuário na Sucupira, a RNP está apoiando a Capes no desenvolvimento da versão 2.0 da plataforma. Sucupira é a ferramenta da Capes para coletar informações e realizar avaliações dos Programas de Pós-Graduação brasileiros. A nova versão visa repensar os diversos processos que envolvem a plataforma, por meio da demanda dos usuários. Para isso, estamos promovendo visitas a sete instituições de ensino superior para coletar dados diretamente dos técnicos, professores e coordenadores de programa que usam a Sucupira constantemente.

Em 2019, quatro instituições já participaram da etapa de escuta, um dos pilares do Design Thinking, metodologia utilizado no projeto. Uma das participantes que conversou com a RNP e a Capes foi a servidora da Unesp, Jaqueline Halicki. “Acredito que a iniciativa da Capes em ouvir os servidores das universidades foi muito profícua. Nós já temos uma interação grande, mas acredito que essa reunião fortaleceu esses laços e foi positiva para os dois lados. A Capes conseguiu ter uma ideia das demandas e nós, como instituição, também nos sentimos ouvidos”, finaliza Jaqueline*.

*Depoimento extraído da matéria https://www2.unesp.br/portal#!/noticia/35395/unesp-colabora-com-a-capes-para-melhorias-da-plataforma-sucupira/

 

© 2019 - RNP Todos os direitos reservados.   |  Conheça nossa Política de Privacidade