Revista Época retrata computador da UFRJ que inaugurou conexão à internet no Brasil

Revista Época retrata computador da UFRJ que inaugurou conexão à internet
Foto: Adriana Lorete / revista Época.

O PC xt 8086, primeiro computador no Brasil que conseguiu acessar diretamente a NSFnet, a rede acadêmica da National Science Foundation (NSF) que foi precursora da internet, foi destaque da edição de abril da revista Época. Edmundo de Souza e Silva, do Programa de Engenharia de Sistemas e Computação da Coppe da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) foi entrevistado pelos repórteres Sérgio Matsuura e Adriana Lorete. Em 2017, o pesquisador foi homenageado pela RNP com o diploma de Construtores da Internet.

De acordo com a reportagem, Edmundo de Souza e Silva concluiu seu doutorado em Ciência da Computação na Universidade da Califórnia em Los Angeles (Ucla), considerada o berço da internet em 1984.  Quando retornou ao Brasil em 1986, conseguiu comprar o PC XT 8086, com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O equipamento foi conectado à NSFnet para que funcionasse apenas como um terminal, usando os computadores da Ucla.

Em carta, Lawrence Landweber, criador da Computer Science Network (CSNET, rede que se transformou na NSFNET), informou que a NSF e a Darpa (agência do governo americano para o desenvolvimento de pesquisas militares) haviam dado permissão para a conexão por Protocolo de Internet (IP, na sigla em inglês) do Brasil com os Estados Unidos. Como faltava um equipamento capaz de rotear o tráfego IP, a solução encontrada foi a adesão à Bitnet.

A primeira conexão com a Bitnet aconteceu em 1988, entre a rede da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e o Laboratório de Física do Departamento de Energia (Fermilab, na sigla em inglês) dos Estados Unidos. Essa mesma linha, com 4.800 bits por segundo, transportou pacotes IP em janeiro de 1991 — fato que alguns consideram o primeiro contato brasileiro com a internet.

No mesmo período, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) gestava a Rede Rio para interligar instituições acadêmicas do estado. A estreia aconteceu no dia 22 de maio de 1992, onde o PC XT 8086 teve um papel central.

Leia o texto na íntegra no portal da revista Época.