ESR celebra dez anos com foco no mercado internacional

ESR celebra dez anos com foco no mercado internacional

Dez anos depois de sua criação, a Escola Superior de Redes (ESR) se consolidou no mercado como provedora de conhecimento e capacitação, dando início a uma nova fase de especialização para profissionais da área de Tecnologia da Informação (TI), com um olhar diferenciado e inovador. Os números apenas enfatizam o sucesso: mais de 50 cursos em sete áreas de formação, 15 mil profissionais capacitados nas cinco regiões do país, oito unidades localizadas em diferentes capitais brasileiras: Brasília (DF), Belém (PA), Cuiabá (MT), João Pessoa (PB), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e Manaus (AM).

O grande diferencial, no entanto, é o trabalho realizado, que está ultrapassando as barreiras geográficas e ganhando o mundo. Na África, a ESR criou um polo de capacitação na cidade de Maputo, capital de Moçambique, para oferecer treinamentos e levar o conhecimento de especialistas da rede acadêmica brasileira para o continente africano. A ação insere-se no âmbito da cooperação entre a RNP e a rede acadêmica moçambicana, MoRENet.

A primeira capacitação remota para técnicos das universidades de Moçambique está programada para o final de setembro e falará sobre "Teste de Invasão de Aplicações Web", tema escolhido dada a necessidade de desenvolver competências em segurança avançada. Especialistas moçambicanos também foram treinados pela ESR e já estão ministrando cursos de administração de redes e de sistemas na Universidade São Tomás de Moçambique. 

Na Colômbia, serviu de modelo para a criação da Escuela Superior de Redes Colombia, fundada em Bogotá, em parceria com a Rede Nacional Acadêmica de Tecnologia Avançada (Renata). Recentemente, o coordenador acadêmico da área de Governança de TI e Segurança da ESR, Edson Kowask, esteve na capital colombiana para ministrar parte do curso “Fundamentos de Governança de TI” na unidade.  

“Com a MoRENet, nosso acordo de cooperação visa apoiar o processo de implantação e consolidação da rede africana, por meio de ações de capacitação técnica em TI e de compartilhamento de informações e boas práticas de engenharia, gestão e governança de redes nacionais avançadas. Com a Renata, estamos participando de alguns cursos na área de Governança em TI, com especialização em Governo e Gestão e em Governo e Segurança”, explica o coordenador da ESR, Luiz Coelho.

Com dez anos de experiência e uma equipe especializada em modelar e atender demandas de formação de profissionais de TI, a ESR também planeja construir outros polos de capacitação fora do Brasil e firmar novas parcerias futuramente. Entre os principais clientes atualmente estão os Ministérios de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), da Educação (MEC) e da Saúde (MS), as Forças Armadas e o Sistema Judiciário Brasileiro. 

Uma das modalidades que chama a atenção na aplicação dos cursos da ESR é a metodologia de Turmas Distribuídas, uma iniciativa desenvolvida pela RNP, que permite a ampliação do conhecimento, de forma simultânea, com alta qualidade e interatividade de áudio e vídeo.  O aluno assiste, em turma presencial, as aulas ministradas na telessala de outra cidade (ou país), podendo interagir em tempo real. Há também o apoio de um monitor, em cada sala, que o auxilia na execução das atividades práticas em laboratório. “Essa modalidade também implica redução de custos porque não exige deslocamentos dos professores e alunos”, ressalta Luiz.

Tudo começou em 2005....

A inauguração da ESR aconteceu em 2005, durante o Seminário de Capacitação e Inovação (SCI) da RNP, realizado em Brasília. O primeiro curso, ministrado na época por Luiz Coelho, foi o de Introdução à Segurança de Redes.

“Como os técnicos de TI das instituições usuárias da RNP só recebiam treinamento uma vez por ano, durante o SCI, decidimos criar uma escola para promover a capacitação, o desenvolvimento profissional e a disseminação de conhecimento em TIC”, conta Luiz.

Além disso, a expansão da rede Ipê e a ampliação do número de instituições atendidas pelo backbone da RNP trouxeram à tona um novo cenário: a necessidade de oferta constante de cursos especializados na área de TI, diferentes dos disponíveis no mercado.

Com um foco prático, a ESR oferece um modelo de capacitação alinhado às demandas do mercado de trabalho. Divididos em básicos, intermediários e avançados, os cursos têm carga horária integral, com duração de dois a cinco dias. Eles apresentam aulas práticas, ministradas em laboratórios conectados à rede de alta velocidade da RNP, e simulações de situações vivenciadas por profissionais das diversas áreas de TI.

A ESR também oferece ainda um ambiente virtual de aprendizagem com material complementar, que permite ao aluno ter acesso aos conteúdos em sua versão mais atualizada.

Novidades em 2015

Atualmente os mais de 50 cursos especializados abarcam sete áreas temáticas: Administração e Projeto de Redes, Segurança, Mídias de Suporte à Colaboração Digital, Administração de Sistemas, Gestão de Identidade, Desenvolvimento de Sistemas e Governança de TI que, este ano, oferece três novos cursos: Elaboração de PDTI, Planejamento e Projeto de Infraestrutura para Data Center e Políticas de Segurança da Informação.

As novidades implicam no aumento das capacitações. “Esperamos fechar o ano com 164 turmas, incluindo as regulares e as realizadas in company”, estima Luiz Coelho.  Uma das surpresas de 2015 foi o preenchimento total das vagas oferecidas no curso inaugural de Planejamento e Contratação de Serviços de TI, da nova unidade da ESR em Manaus (AM).  

Ainda esse ano, a ESR deverá ganhar um novo cliente do setor judiciário: o Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR), que acaba de contratar o curso Gestão da Segurança da Informação - NBR 27001 e NBR 27002 para capacitar 15 gestores de diversas áreas do tribunal.

Desde 2009, já foram ministradas diversas capacitações em diferentes tribunais de justiça espalhados pelo Brasil. Os que mais aplicam cursos a seus servidores são os da Bahia, Rio de Janeiro e Piauí. Eles respondem pela contratação de mais de 390 vagas. Entre os cursos que se destacam estão os de Governança de TI (58 cursos), Segurança (21 cursos) e Administração e Projeto de Redes (15 cursos).