ESR dá início aos treinamentos de TI em Moçambique

ESR dá início aos treinamentos de TI em Moçambique

Entre os dias 21 e 25/9, a ESR deu início aos treinamentos de TI para os técnicos das universidades de Moçambique, na África. Esta foi a primeira capacitação remota fora do Brasil, com a realização simultânea de um curso no qual estiveram presentes alunos brasileiros e africanos.

A atividade foi viabilizada graças a ativação de um polo da ESR na cidade de Maputo, capital moçambicana, em junho deste ano. Este é o primeiro fora do Brasil, e tem como objetivo levar o conhecimento de especialistas da rede acadêmica brasileira para o continente africano. A ação insere-se no âmbito da cooperação entre a RNP e a rede acadêmica moçambicana, MoRENet.

O tema trabalhado no curso foi "Teste de Invasão de Aplicações Web", também chamado de teste de penetração ou pentest, utilizado para verificar a segurança de um ambiente, plataforma ou sistema, por meio da simulação de ataques reais, explorando as vulnerabilidades encontradas. A turma foi composta por nove alunos de Maputo e 17 de Porto Alegre.  

As aulas foram ministradas pelo instrutor Afonso Neto, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), na modalidade Turmas Distribuídas, na qual parte dos alunos assiste o curso em turma presencial, enquanto outro grupo participa remotamente, com interação em tempo real, por meio da transmissão de áudio e vídeo. “Esta foi a primeira turma distribuída internacional e intercontinental. É uma quebra de paradigmas entre a necessidade e a oferta de conhecimento”, afirma o coordenador da ESR, Luís Coelho.

A plataforma de software utilizada foi desenvolvida pela UFRGS em parceria com a RNP, no âmbito do Grupo de Trabalho Infraestrutura para Ensino a Distância (GT-IEDAD).  Foi criado um ambiente completo para transmissão multimídia interativa em alta qualidade entre instituições ligadas à rede da RNP, possibilitando o acesso simultâneo de diversas pessoas.

“Acredito que a ESR poderá contribuir de forma efetiva na implantação e operação da rede acadêmica em Moçambique. Alguns instrutores africanos já estiveram no Brasil para participar dos cursos da ESR. O objetivo é replicar e ampliar, em território africano, o conhecimento que está sendo adquirido”, afirma Luiz.