Veja as ações da RNP em infraestrutura de redes avançadas, segurança da informação e comunicação e colaboração

Veja as ações da RNP em infraestrutura de redes, segurança e comunicação

Para encerrar a série de matérias sobre as principais entregas da RNP em 2018 para seus parceiros, falaremos sobre os projetos de melhorias ligados aos serviços de infraestrutura de redes avançadas, conectividade e segurança da informação.

RNP e Embrapa: parceria que incentiva a pesquisa e o desenvolvimento

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) tem como missão de viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a sustentabilidade da agricultura nacional. Um dos seus grandes desafios é integrar e estimular a colaboração entre suas unidades no Brasil, muitas no interior do país e em zonas rurais. Para apoiar a Embrapa, a RNP realizou um plano integrado que incluiu acesso à internet em alta velocidade para as unidades descentralizadas, bem como o uso de computação em nuvem, capacitação de profissionais, ações de P&D e implantação de serviços de comunicação e colaboração. E, em 2018, várias ações foram realizadas.

Infraestrutura de comunicação e colaboração a distância

A RNP realizou, em julho de 2018, a implantação do serviço de Multipresença em duas unidades da Embrapa: Embrapa Agrobiologia, em Seropédica (RJ), e Embrapa Sede, em Brasília. O serviço permite a realização de conferências por meio de múltiplos dispositivos de altíssima resolução (4k) e permite a comunicação por meio de dispositivos móveis, sem limite de usuários. “A parceria gerou economia para a Embrapa, por meio de uma solução que tem custo reduzido e possui, muitas vezes, uma qualidade superior’’, afirma o supervisor de TI da Embrapa, Rommel Teodoro de Oliveira.

Além do Multipresença, a RNP encerrou a implantação do fone@RNP em 25 unidades da empresa. O serviço proporciona economia nos custos em telefonia, encaminhando chamadas telefônicas pelo backbone de alto desempenho da RNP, a custo zero. Durante o ano, foi dada a continuidade no processo de upgrade de dez unidades da Embrapa ao backbone da RNP, por meio de links de alta capacidade. Com esta ação, está sendo provida uma infraestrutura de rede avançada aos sistemas de P&D, finalizando a interligação da última milha das unidades da Embrapa por meio das Redes Metropolitanas.

Capacitação profissional

A Escola Superior de Redes (ESR) da RNP foi responsável pela capacitação continuada do corpo técnico da Embrapa. Durante o ano, 58 profissionais participaram de cursos promovidos pela ESR, envolvendo Gerenciamento de Projetos de TI e Gestão Ágil de Projetos com SCRUM, formados em quatro turmas in company. O conteúdo das capacitações é elaborado por especialistas em TICs e privilegia o ensino prático, com tarefas executadas em laboratórios imersivos. O analista de Tecnologia de Informação da Embrapa, Fabiano Mariath, afirma que os cursos oferecidos pela ESR são fundamentais para o alinhamento das ações de TI na empresa e ressalta a qualidade do corpo técnico responsável pelos cursos. “A Embrapa faz parte do comitê de usuários da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa. A capacitação tem papel muito importante para que possamos proceder de maneira concordante com o plano estratégico da RNP”, conclui.

Soluções em Segurança da Informação

Com a missão promover um ambiente de redes seguro, a RNP está desenvolvendo com a Embrapa um processo de tratamento de incidentes de segurança. Em abril, foi iniciada a implantação de uma Equipe de Tratamento e Resposta a Incidentes em Redes Computacionais (Etir), para implementar conceitos, boas práticas, processos e ferramentas que possibilitem o estabelecimento formal de uma equipe capacitada para o tratamento de incidentes de segurança da informação.

A RNP também está elaborando, em conjunto a Embrapa, um Plano de Contingência para ser aplicado em qualquer de seus serviços internos. Este plano, uma vez adequado ao serviço escolhido, poderá manter os processos de negócio em operação, após um incidente crítico, que venha causar indisponibilidade ou degradação às atividades de seus usuários.

Para o próximo ano, estão previstas ações de continuidade, como a implementação de Sistema de Gestão de Vulnerabilidades, a formulação da documentação de definição de escopo para análises de vulnerabilidades e treinamento presencial sobre o tema. Segundo a analista de Tecnologia da Informação e Comunicação da Embrapa, Jeane de Paula, as ações da RNP têm sido essenciais para a constituição das equipes de segurança, além da contribuição durante as etapas de esboço e documentação dos processos. ‘’Vamos conseguir ficar em conformidade com a norma ativa, dar um melhor encaminhamento dos incidentes em redes e teremos as coordenadas que direcionarão nossas ações em relação à segurança da informação”, pontua.

Ambiente de segurança também é uma preocupação na Capes

No final de 2017, foi assinado um contrato de prestação de serviços que possui como uma das metas o apoio ao gerenciamento da Segurança da Informação no âmbito de infraestrutura de TI na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). A RNP se comprometeu a apoiar as estratégias corporativas e tecnológicas, proteger a instituição contra ameaças de segurança, comunicar a importância do tema para todos os níveis organizacionais e fortalecer o tratamento de riscos críticos à segurança.

As entregas do ano passado incluíram a revisão de toda a metodologia e artefatos utilizados pela Capes para desenvolvimento de softwares, incluindo controles de segurança, além da avaliação do processo de gestão de mudanças da coordenação, avaliando pontos críticos e recomendando melhorias no processo, como incluir segurança da informação como fator determinante para a execução das mudanças sistêmicas.

Inovação e colaboração no CPRM

A parceria entre a RNP e o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) tem o objetivo de estimular a inovação e viabilizar a implantação de serviços de comunicação e infraestrutura de redes avançadas.

Até 2017, o CPRM conectou cinco de suas unidades em redes metropolitanas nacionais, porém ainda com acesso restrito ao backbone da RNP. Este ano, a partir do início do primeiro projeto conjunto, a RNP elaborou, com validação e aprovação do CPRM, a arquitetura da Rede CPRM a ser implantada, onde poderá ser utilizado o serviço nacional de VLAN. A Rede CPRM será composta de 13 unidades nacionais e, com o serviço de rede implantado poderá usufruir de recursos, como por exemplo, uma "intranet nacional", potencializando as ações de pesquisa e desenvolvimento entre as suas unidades e com as demais instituições. As cinco unidades em redes metropolitanas já receberam o pleno acesso à Rede Ipê e a internet como um todo.

Também no âmbito da parceria, assim como realizado com as unidades da Embrapa, será implantado o serviço fone@RNP para as 13 unidades do CPRM. O serviço é implementado por meio de um dispositivo desenvolvido no Brasil, contando com hardware e software nacionais, tornando-o uma solução compatível com as necessidades de segurança das soluções empregadas em instituições públicas nacionais. “O que estava faltando para impulsionar o acesso aos nossos dados e a nossa comunicação, era a RNP. Essa parceria é vital. Ela facilita a comunicação entre os nossos pontos regionais e impulsiona o contato entre as instituições de pesquisa no Brasil de modo gratuito e eficaz”, finaliza o gestor de Tecnologia da Informação da CPRM, Edgar Shinzato.